27.10.10

Peço desculpa não ter vindo postar ontem, mas tive que ir ao Porto tratar do meu futuro *-* wish me luck!

Por isso deixo-vos dois capitulos :3 E mais uma vez obrigado pelos comentários.

 

p.s- Bianca, só devo ter net em casa no fim-de-semana. Manda-me um e-mail querida.

 


 

5


Senti as suas mãos quentes envolverem também elas os meus braços num abraço forte. Minutos depois soltei-o devagarinho olhando nos olhos… as minhas mãos subiram dos seus braços para o seu pescoço, puxei-o ligeiramente para mim e beijei-lhe levemente a testa. – Yo cumpliendo. Perdóname, yo no deveria ter preguntado nadie…
Ele olhava-me serenamente era como se um peso lhe tivesse saído de cima. –No, tu no tienes culpa. E lá me mostrou mais um sorriso ainda que pequenino, mas delicioso.
Fiquei mais um pouco por casa dele. Vimos tv, bebemos mais umas quantas canecas de chocolate quente, em que pelos vistos demonstramos ser uns viciados. Mas estava a ficar tarde… O Aimar levou-me de volta ao Estádio da Luz… E deixou-me mesmo à portinha do meu carocha…
-Aimar, gracias por me mostrares lo lado más guapo de la ciudad. – disse-lhe antes de me despedir.
- No tiene de que! Gracias por curaré miña dore con cariño e mucho chocolate… - sorriu tímidamente.
As minhas bochechas lá me denunciaram e viraram vermelho vivo… -Entonces a inda bien que yo hay hecho algo de bueno hojeé.

-Mira, ficha con mi numero, e dezmé algo cuando legares a casita si?
Passei-lhe o meu telemóvel para as mãos no qual ele escreveu o numero e logo de seguida me devolveu… Ele deu-me dois beijinhos e eu voltei a abraça-lo… E lá segui eu no meu carocha e ele no seu Audi para casa…
 
Cheguei a casa era quase meia-noite, mal desliguei o carro, peguei telemóvel.
“Hola, yo ya legué  a casa. Besos te vejo mañana.” Só faltava procurar o número e eu não fazia ideia em que nome a que ele o tinha guardado… Porcurei por “A” para Aimar, mas nada, “P” e encontrei. “Pablito” e logo de seguida um sorriso apareceu no meu rosto. Subi e fiz pouco barulho pois a Sara poderia estar já a dormir. Mas pelos vistos enganei-me, pois encontrei-a na sala de luzes apagadas a comer pipocas e a ver o Gilmore Girls acompanhada de uma carrada de lenços de papel…
-Então Sara a ver isso pela 10000ª vez? –perguntei, enquanto acendi a luz.
-AIII PORRA QUE SUSTO! Fogo Jane, se fosse a ti fazia menos barulho a entrar em casa…
Atirei-me para o sofá e dando-lhe um beijinho.. – Desculpa, pensei que pudesses estar a dormir.
-Sim pois pois…que horas são? – perguntou ela olhando directamente para  relógio que estava na parede atrás do sofá. -11:58? Isto são horas de chegar a casa para amanha ir trabalhar? Mau, mau! – Tentou fazer cara de séria, mas logo se desmanchou a rir… -Vá conta-me como foi… foste conhecer que parte da cidade?
Tapei a cara com as duas mãos abri um buraquinho para espreitar por um olho, baixei as mãos, humedeci os lábios enquanto o meu cérebro procurava pela melhor resposta para aquela pergunta.
- A parte da casa dele...? – afirmei ainda que numa espécie de pergunta retórica.
Ela abriu bem os olhos e perguntou… - A casa dele? Fazer?
Estivemos quase até as 2 da manhã a falar… Contei-lhe da paisagem maravilhosa pela qual ela se derreteu mesmo sem a ver… E fartou-se de dizer o quão querido ele tinha sido por partilhar aquela paisagem comigo. Depois contei-lhe a parte do divórcio do qual pedi segredo enumeras vezes, apesar de saber que bastava uma vez para ela não abrir a boca. Contei-lhe que éramos ambos viciados em chocolate quente e ela ficou logo com vontade de ir fazer, é obvio que eu não deixei… Detalhei-lhe minuciosamente a foto que estava na mesinha de centro do Aimar… ao qual ela soltou um “ai que fofinhos” para se referir aos filhos do mesmo. E depois de tudo bem contadinho, ajudei-a a apanhar todos os lenços de papel do chão e fui para o meu quarto…
Despi a minha roupa e vesti uma t-shirt enorme dos Metallica. Sim era o meu pijama e depois? Adorava dormir só com uma t-shirt grandalhona. Tirei tudo da mala e reparei que tinha uma mensagem no telemóvel.
“Que bueno. Si nos vemos. Porque no vas a ver los trenos mañana, eres a la porta abierta… Buenas Noches, besos.”
Sim, era uma boa ideia, mas só se me despachasse com o trabalho. Primeiro o trabalho e depois o lazer… Sentei-me na cama e olhei para a cadeira que tinha ao lado onde estava a roupa que tinha levado… Peguei no casaco… E devagarinho o levei ao rosto, de uma só vez inspirei o perfume que continha… Fechei os olhos e era como se o sentisse nos meus braços outra vez… Eu tinha pena da situação em que ele estava. Deve ser horrível estar sem puder ver os filhos sempre que se quer… Deita-los todas as noites… Coitado do Aimar…
*Toc toc* -Posso? –Perguntou a Sara do outro lado da porta.
-Claro. – disse-lhe pousando o casaco de novo na cadeira.
-Amor, amanha podes-me acordar antes de saíres para trabalhar?
-Claro que posso! – disse-lhe.
Ela aproximou-se de mim para me dar um beijinho de boa noite ao qual eu retribui.
-Estas muito pensativa tu! – disse-me
-Eu? Impressão tua mulher!
-É, é… Sabes o que eu acho? Acho que estas a ficar apaixonada é o que é. – disse-me virando costas.
-Sabes o que eu acho? – disse-lhe e ela voltou a virar-se para mim… - Acho que as pipocas tinham vodka e que já estas bêbeda! – disse-lhe.
-Oh sim, não era vodka, era tequila! – mostrando-me o dedinho do meio. –Até amanha!
-Buenas noches, Sarinha!
-Eu dou-te as buenas noches, dou! – Foi a ultima coisa que a ouvi dizer antes de ela sair do quarto… O meu corpo já pesava, e os meus olhos teimavam em fechar… E eu em minutos deixei-me levar para longe.

(…) Acordei, mas sentia-me como se nem tivesse dormido, sequer… Todo o meu corpo doía e quando me olhei ao espelho até me assustei com as olheiras... Vesti um conjunto básico de umas jeans com uma t-shirt vermelha, calcei os meus marc jacobs, um bocadinho de perfume aqui, um bocadinho de creme na cara, amarrei um cabelo num nó no cimo da cabeça e estava prontinha… Tomei o pequeno-almoço, acordei a Sara e lá fui eu de encontro ao mesmo sitio que já me tinha trazido tantas felicidades.

Depois de ter estacionado o meu carocha lindinho, cumprimentado pelo menos uns 10 funcionários no meu caminho até à minha sala, quase que esbarrei com o Ruben ao virar da esquina.
- Ainda a dormir? – perguntou-me com um sorriso enorme, mas com uma cara de sono pior que a minha.
-O Ruben acho que andamos os dois a dormir. Já te viste ao espelho? – perguntei no gozo.
-Já,  mas percebi que o único de nós os dois que consegue manter-se bonito e ao mesmo tempo ter uma cara de sono não sou eu.
-Ohh que querido… - disse-lhe dando um beijinho.
-Por onde andas-te ontem?
-Ontem?  - as imagens que ainda não me tinham saído da cabeça passaram outra vez no meu cérebro. – Hmmm… Então ontem eu…
-Ficas-te a trabalhar até tarde, eu sei!  - disse-me ao qual eu retribui com um olhar bastante confuso…
-Sim, ou pensas que não sei… Ontem voltei ao estádio depois de jantar porque me esqueci do telemóvel no balneário e encontrei o teu carro no estacionamento… Faz mal trabalhar fora de horas sabes? Depois andas a dormir e quase que atropelas as pessoas. – e sorriu.
-Ah isso… Pois... Mas compensa trabalhar até tarde… - boa… eu não lhe queria mentir, mas também não lhe queria dizer que tinha estado em casa do Aimar.
-E hoje não vais trabalhar até tarde que eu não deixo. As 17 saís!
-Aí é?
-É e vais ver o nosso treino ao caixa futebol campus, e aviso desde já que desconheço um não como resposta.
Ri-me…
E obvio que eu ia, já tinha prometido ao Aimar…
-Sim, eu vou ver o que posso fazer… -disse-lhe.
Ele lá foi a sua vidinha e eu à minha. Mal entrei na sala, tratei de me por a vontade e tenho que dizer que o senhor LFV, ou quem quer que seja que tenha tido a ideia para aquela sala sabia por as pessoas bem confortáveis… Eu dispunha de uma máquina de café à qual me dirigi para tirar um. Também tinha um portátil, o qual eu liguei e tratei de por música… Os meus gostos musicais aos olhos das “pessoas normais” de hoje em dia não eram vistos como os melhores, mas eu continuava a gostar do meu grunge, do meu heavy metal, do meu hardcore, do meu punk rock, do meu rock n’ roll e do meu Indie da mesma forma... Mas hoje apetecia-me algo diferente.. Não é que eu não apreciasse música pop ou algo do género, as vezes lá me surpreendia por gostar de uma ou outra… E ultimamente andava com uma que não me saia da cabeça… E da qual eu adorava fazer uma versão feminina da música que era um espectáculo, ok talvez não fosse um espectáculo, mas lá tratei eu de a por a tocar.
Sentei-me no grande cadeirão que lá tinha, retirei o meu bloco e um lápis da mala e esperei que as ideias me surgissem… Mas a única coisa que me surgia era cantarolar a música…
“ohhh  his eyes, his eyes make the stars look like they’re not shining. his hair, his hair falls perfectly without him trying, his so beautiful and I tell him everyday. Yeahhh I know, I know when I compliment him, he won’t believe me. And it’s so, it’s so sad that he doesn’t see what I see. But everytime he asked me “do I look ok?” I say… When I see your face there’s not a thing that I would change, ‘cause you are amazing just the way you are. And when you smile, the whole world stops and stares for a while, ‘cause boy you’re amazing juts the way you are…”

E lá comecei eu a desenhar uns rabiscos que se pareciam com um fato… Mas que não resultaram em muita coisa, por tanto decidi primeiro estudar e examinar os fatos que tinham sido usados nos anos anteriores e escolhi três que mantinham o rigor, a classe e a elegância e procurei fazer uma mistura dos três para obter algo que mantivesse o rigor, a classe e a elegância mas a triplicar. E depois de tanto trabalho, procura, inspiração, e design no seu bruto significado da palavra, olhei para o relógio e vi que estava na minha hora… Saí, voltei a despedir-me de todos o que cruzaram o meu caminho, peguei no meu bebé e segui… Destino: Caixa Futebol Campus…

Entrei, e a bancada já estava repleta de vermelho… Era de um orgulho imenso ver que não eram só os jogos que enchiam o estádio mas sim os próprios treinos que chamavam muitas pessoas… O Benfica era sem dúvida um clube que não se podia queixar da legião de fãs que os seguia para todo o lado e em todo o mundo. Rapidamente o meu olhar encontrou um lugar vago na primeira fila e lá fui eu…
Os jogadores faziam corrida à volta do campo… As pessoas entoavam cânticos, que eu sabia, até de olhos fechados, gritavam os seus nomes… era por causa destes momentos que eu não trocava o meu Benfica por mais clube nenhum. Os jogadores preparavam-se para começarem a passar ao lado da bancada… E foi quando ouvi um cântico que eu sabia que nada nem ninguém me iria fazer parar de o cantar… “Vamos Pablito Aimar, que la gloria volverá, como kempes y el piojo outro pibe inmortal.” E nesse momento vinha o Pablo juntamente com o Saviola o Gaítan e o Martins a passar… O meu olhar cruzou o do Pablo, eu gritei ainda com mais emoção… E um sorriso se esboçou na sua cara.
Mais atrás vinha o Ruben e o David que fizeram questão de dizerem adeus, e eu retribui, o que fez com que as pessoas que me rodeavam ficassem com os olhos postos em mim, mas eu não me importei. Eles fizeram mais uns quantos exercícios e ainda tivemos direito e uma peladinha de 15 minutos. Depois o treino acabou e eu segui rumo a casa, hoje era noite de filmes com a minha Sarinha.

 

 

6

 


Já se tinham passado mais de dois meses desde que estava em Lisboa… O design dos fatos já tinha sido aprovado pelo LFV e já estava a ser elaborado um protótipo para mais tarde ser posto em produção. A minha amizade com o Ruben e com o David estava óptima, e digamos que com quase todo o plantel igualmente… Já os conhecia a todos muito melhor, e eu gostava de todos de maneira diferente… Não me poderia ter adaptado de maneira melhor… Voltei a ver a vista maravilhosa sobre Lisboa de casa do Pablo o mês passado, quando ele apanhou uma gripe enorme e teve que ficar 3 dias de cama… Eu fiz questão de tratar dele… Eu e o irmão Andrés, que eu também tive tempo para conhecer ainda que muito pouco.
A vida corria-me bem e a única coisa que parecia ser problema por esta altura eram os resultados do meu Benfica na champions… Na passada quarta-feira tinha-mos perdido contra o Lyon e a equipa que mais parecia que não era um Benfica mas sim um rio ave ou um Guimarães, fez, provavelmente um dos piores jogos de sempre na champions… E eu só esperava que eles começassem a jogar melhor e com vitorias…O Rúben andava lesionado, o Fábio também, e já para não falar no Cardozo que não jogava já a 3 jogos. A equipa estava em baixo, mas lá se tratou de resolver o problema e por ideia do senhor LFV foi decidido fazer-se uma festa para os funcionários do clube o que me incluía a mim e aos jogadores e enfim, a todos… Até nos tinham deixado sair mais cedo hoje e tudo. Mas festa era festa e upa upa que se fazia tarde…. Eu arranjei maneira de levar a Sara atrás de mim, com uma ajudinha do Jorge Jesus que me ajudou a convencer o senhor LFV e pronto…
Não precisávamos de ir formais, bastava irmos… A Sara andava literalmente aos pulinhos pois nunca tinha ido a uma festa do S.L.B nem a uma festa com famosos… Para mim não passavam de jogadores, já para ela… Ela levava umas calças de ganga justas, com um top branco aos folhinhos e um casaco preto de malha. Um conjunto que passava despercebido aos seus Jimmy shoes, lindos de morrer. Já eu optei por uma saía godés bege, de cinta subida que fazia conjunto com uma camisola de malha também ela em bege que me deixava um dos ombros subtilmente à mostra. Colmatei o conjunto com umas sandálias de cunha, pretas e um cinto preto e levei o cabelo ao natural.

 

 

 

-Sempre vestida para matar Jane… Isso é tudo porque vai lá estar o Aimar? – perguntou-me assim que me viu arranjada e pronta.
-Sara já te disse que somos só amigos. E isto não mata ninguém, é só uma saia com uma camisola e alem disso vou levar o casacão de pelo porque esta um frio de morrer…
-Pois está! Mas não mudes de assunto… Isso de serem só amigos a que me mata… Vocês conhecem-se à 3 meses e até já ficas-te em casa dele quando ele esteve doente e tudo..
-Ai Sara, ele estava sozinho e doente, e eu como amiga só tomei conta dele, só isso…. E além disso o irmão dele também lá estava e fiquei lá pois fiquei, mas foi só durante o dia.
-Pronto, pronto! Vamos que não quero chegar tarde… Vais me apresentar o Javi Garcia não vais? – perguntou-me a pestanejar muito.
-Ele já tem namorada Sara.
-E eu não sou ciumenta…
Ri-me, da normalidade com que ela disse aquilo… - Vá vamos!
Chegamos ao restaurante que também era bar e encontramos, a casa cheia em peso…
Jogadores, dirigentes, treinador e adjuntos, funcionários e a Sara que mal entrou se sentiu perdida ali no meio, para qualquer dos efeitos se alguém perguntasse, a Sara era a minha nova ajudante no estádio… grande desculpa que eu e o JJ tínhamos inventado só para que não desse nas vistas.
Cumprimentei uma data de jogadores que se chegavam mais a nós a medida que íamos andando. Janta-mos, conversamos e até karaoke ia haver… Mas ainda estava tudo agarrado a mesa de jantar por causa das sobremesas… Eu e a Sara tínhamos ficado sentadas entre o Fábio e o Weldon e a nossa frente tínhamos o Saviola e o Aimar… do qual eu devo confessar que não conseguia tirar os olhos… Ele estava completamente e deliciosamente a minha frente, com jeans escuros, e com uma camisa preta um pouco aberta no peito, juntamente com a sua classe, olhar e sorriso, estava-me a matar aos bocadinhos…. Eu chamava aquilo uma combinação killer.
Mas tinha de arranjar forças para me distrair ou ia dar nas vistas se não tirasse os olhos de cima dele. Finalmente depois de todos comerem as suas sobremesas a festa ia começar… Tínhamos um palco inteiro a nosso dispor, cheio de instrumentos… No qual poderíamos tocar ao vivo, ou cantar karaoke… Os primeiros foram os brasileiros que nos foram dar um cheirinho de pagode e logo depois vimos os dotes de dj do Javi Garcia por quem a Sara só não se babou porque faltava a babete.
-Então ouvi dizer que tinhas uma voz fantástica? – dizia-me o Ruben depois da actuação fantástica do Javi.
-Eu? Quem te disse enganou-te bem! – respondi-lhe.
-Oh não mintas, ambos sabemos que antes de te dedicares a moda, tinhas uma banda e que eras óptima.
-Isso já lá vai. – disse-lhe.
-Prepara-te para cantar então…
-Hun? – olhei-o confusa…
-Ya o teu nome esta ali num papelinho algures à espera de ser chamado ao palco. – disse-me sorrindo.
Tapei a cara com as mãos. – Não acredito…. Ai eu não vou Ruben…
-Vais, vais!
E nesse mesmo instante ouço o senhor António, porteiro do estádio da luz que de momento fazia de apresentador a chamar pelo meu nome…
E tudo parou… Olharam todos na mesma direcção… Eu mostrei o dedinho do meio ao Ruben em sinal de que estava metido em sarilhos… dirigi-me ao palco agarrei na Sara pelo caminho… e sussurrei-lhe ao ouvido tudo o que ela tinha de fazer..
Ela sentou-se na bateria, eu agarrei numa guitarra, encarei o recinto que estava repleto que caras conhecidas ainda que mesmo assim não me apetecesse cantar…Fechei os olhos, respirei fundo, voltei a abrir os olhos… olhei numa só direcção… E vi uns olhos brilhantes que me observavam do outro lado do palco e para quem eu iria cantar. (http://www.youtube.com/watch?v=iMw5BeSMaAc) Toquei os primeiros acordes, calmos mas bastante melódicos acompanhados pela batida certa da Sara, fechei os olhos de novo e cantei…

-Look at the stars, Look how they shine for you, And everything you do, Yeah, they were all yellow. I came along, I wrote a song for you,
And all the things you do, And it was called Yellow. So then I took my turn, Oh what a thing to have done, And it was all Yellow.
 Abri finalmente os meus olhos para encontrar o mesmo olhar no meio da multidão… um olhar preenchido por um sorriso pelo qual o meu coração quase que saltava fora…. Enchi os meus pulmões e cantei. – you're skin, oh yeah you're skin and bones turned into something beautiful
you know, you know I love you so. You know I love you so.
Estava tudo pasmado com a minha capacidade que muitos desconheciam… Mas eu continuava… - I swam across, I jumped across for you,
Oh what a thing to do. 'Cause you were all Yellow, I drew a line, I drew a line for you. Oh what a thing to do, And it was all Yellow.

Voltei a inspirar e cantei do fundo do meu coração…- it’s true, look how they shine for you. Look how they shine for you… Look at the stars, look how they shine for you and all the things that you do…

A música tinha acabado e os meus olhos permaneciam focados no mesmo olhar. O mesmo olhar que agora tinha como aliado um sorriso, um sorriso inconfundível pelo qual eu estava perdidamente apaixonada. E não podia negar. Mas tudo o que se ouvia era uma ovação de palmas enquanto saiamos do palco.

-Wow você foi maravilhosa. – dizia-me o David que estava mesmo à saída do palco… Os meus lábios gesticularam um “obrigado” e segui, pelo meio da multidão por onde ouvi mais uns quantos “foste fantástica” “wow espantoso” mas eu só queria sair dali… Quando dei por mim até a Sara eu já tinha deixado ficar para trás e quando voltei a olhar para procurá-la encontrei-a a um canto a trocar sorrisos com o Jara e a falarem.

Decidi não esperar e continuei… Finalmente consegui sair da multidão que já estava novamente entretida com outra actuação… Saí pelas traseiras e fui dar a um pequeno beco que separava o prédio do restaurante do outro ao lado…
Respirei fundo, olhei para o céu…Eu estava confusa, o meu coração acelerado… Eu queria sair dali, para pensar. Ir para longe, mas não me podia simplesmente ir embora ou podia? 
 
-Eres maravillosa…

Tão rapidamente como tinha saído de lá de dentro me voltei para trás… Eu conhecia tão bem aquela voz.

-Que eso? No eres nadie… -disse-lhe ainda que sentindo as maças do rosto aquecerem subitamente e passarem de um rosa a um avermelhado.

-Una verdadera caixiña de sorpresas… - sorriu-me.
Eu retribui-lhe o sorriso, mas não sabia o que lhe dizer… que estava completamente com a cabecinha virada ao contrario? Que talvez me estivesse a apaixonar por ele? Faltava-me tudo menos o sorriso. Mas o mais importante, que eram as palavras, não me saiam…

Num primeiro instinto, abracei-o… Se calhar era só disso que eu precisava. De um abraço. Os meu braços envolveram-lhe o pescoço, fiquei ligeiramente em bicos de pés e pude sentir aquele perfume maravilhoso que, de uma certa forma, me acalmava…
Segundos depois senti os seus braços envolverem a minha cintura, puxar o meu corpo mais para ele fazendo quase me levantar de chão. Ficamos assim alguns minutos e mesmo antes de o largar senti os seus lábios quentes e macios, beijarem-me levemente o ombro desnudo pela minha camisola. O que fez com que o meu corpo aquecesse momentaneamente.
Ambos nos largamos sem que nenhum de nós fosse capaz de dizer uma única palavra, apenas os nossos olhares se cruzaram e pareciam querer falar… Mas nem uma palavra… Ele abriu-me a porta, voltei lá para dentro e ele seguiu atrás de mim.

-Aimar… - chamei-o, ele olhou-me e esperou pelo que eu ia dizer… -Me voy, estoy cansada…
-Pero ainda es cedo. – disse-me.
-Si, yo se, pero estoy cansada… -olhei-o uma ultima vez, ele deu-me dois beijos e eu voltei a olhar para o grande amontoado de gente à minha frente para ver se encontrava a Sara. Mas foi ela que me encontrou a mim, quando apareceu à minha frente completamente sorridente, vinda de não sei bem onde e agarrada ao Franco Jara…
-Oi….  – disse-me
Hola. – cumprimentou o Jara.
-Hola... – retribui! – Sara, ouve, vou embora…
-Não vais não! – disse-me.
-Vou, estou cansada e não quero ficar aqui.
-Oh por favor não vás… Eu preciso da casa, só por esta noite… Podes-me fazer esse favor amor.
Eu olhei-a incrédula… Ela sorriu, olhou para o Jara, revirou os olhos e pedinchou-me mais umas quantas vezes.
-Podes dormir num hotel hoje Janezinha? Por favor? – disse-me.
-Sim, está bem deixa lá… E vê lá o que fazes…
-Sim, sim, sim, mãezinha! – deu-me um beijo e sussurrou-me ao ouvido. – Obrigado melhor amiga, amo-te.

Voltei-me para a saída, mas o Aimar ainda permanecia lá, mesmo atrás de mim.
- Tienes para onde ir? – perguntou-me.
-No, pero voy a buscar un hotel donde fichar.

tags:
sinto-me: :3
música: coldplay - yellow
link do postPor pablitoaimar, às 12:00  comentar

De Bianca a 27 de Outubro de 2010 às 23:09
"combinação killer"-gostei !!
Mais uma vez: ADOREI !!
u.u falas ali no Andrés ou é impressão minha ? ^^
Epáh, continua, a sério!!
Depois eu mando te um e-mail!
E olha, já sou comprometida...+.+
Beijão

De Bianca a 28 de Outubro de 2010 às 11:54
PS: Adoro a música ! ^^
Bom gosto +.+

mais sobre mim
●▲■▼
chat
ⓐⓘⓜⓐⓡ
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic