29.10.10

Oi, obrigado pelos comentários... Só podia ser a minha Pipa e a minha Bianca :) É por vocês que eu faço isto *-*

Hoje deixo-vos dois capitulos porque em principio não vou poder cá vir amanha. Espero que gostem.

Ahhh e não se esqueçam de ver o nosso Benfica hoje.

9ªJ S.L.Benfica - Paços de Ferreira 28Out - 20:15h - *SporTv 1*


 

8

 

Segui viagem, e ia aproveitar as 3 horas de viagem para pensar no que ia fazer em relação ao que sentia. Seja lá o que isso for. E se eu estivesse mesmo apaixonada? E se eu estivesse e falasse com ele sobre isso? E se ele achasse que eu era doida? E se ele não sentisse o mesmo? Se calhar era melhor não fritar o cérebro antes de perceber o que se passava. Liguei o rádio. Primeiro que encontra-se uma estação com música de jeito, ui! Era uma vida. Nem me apercebi em que estação parei, mas mal ouvi as primeiras melodias da lovers in japan dos Coldplay, deixei ficar… Eu amava Coldplay. Tinha a discografia toda em casa e devo confessar que me ajudava sempre que necessitava de pensar.
(…)
A Sara estava em casa, sozinha… A pensar na noite anterior quando ouviu alguém bater a porta. A primeira ideia que lhe passou pela cabeça era que talvez fosse a Jane que se tinha esquecido de alguma coisa. E então cabeça desnorteada como ela era, era muito provável. Mas depois pensou que já tinham passado duas horas desde que ela tinha saído por isso era pouco provável. Depois lembrou-se que poderia ser o Jara e apresou-se a chegar a porta.
-Hola, Jane está?
-Aimar? Hummm… Não ela não esta! –Ai! Perdóname, no ela no está!
-No tiene problema, yo entiendo portugués. Ella se va a demorar?
-Ela foi ao norte, Aimar. Mas ainda volta hoje.
-Ok, gracias.
E foi embora. O que é que ele quereria foi a pergunta que permaneceu no cérebro da Sara.
(…) Quando cheguei a casa ninguém fazia ideia de que eu lá ia e ficaram todos felizes. A minha avó até me abraçou 3 vezes seguidas e encheu-me de beijos. Lá expliquei eu que estava tudo a correr bem e que infelizmente só deveria voltar em Dezembro pela altura do meu aniversário, e do Natal. Eles perceberam e depois de um bom bocado lá se despediram de mim outra vez.
E lá segui eu rumo a Lisboa outra vez mas não sem levar os cd’s dos Coldplay atrás de mim. Foi bom ter-me lembrado que eles estavam em Aveiro para poder ouvi-los até Lisboa.
Liguei o carro, pus o primeiro cd, “Green Eyes” on Play. Esta música trazia-me tantas memórias. E lá fui eu a cantarolar por lá fora.
Honey, you are a rock, upon which I stand. And I came here to talk, I hope you understand. The green eyes, yeah the spotlights, shines upon you. And how could anybody deny you. I came here with a love and it feels so much lighter since I meat you. And, honey you should know, that I could never go home without your, green eyes. Honey you are the sea. Upon which I float. And I came here to talk. I think you should know. The Green eyes. You’re the one that I want it to find. And anyone who tries to deny you must be out their mind. Because I came here with a love and it feels so much lighter since I meat you, honey you should know that I could never go home without you. Green Eyes. Green Eyes…”
Depois de cantarolar a música, apercebi-me do que tinha de fazer. Tinha de falar com ele, tinha de perceber o que eu queria.
Cheguei a Lisboa e já passava das 23:00h. Encontrei a Sara adormecida no sofá de tv acesa.
-Sara… - chamei baixinho. – Sarinha… - insisti.
-Hummmm. – mumurou ela ainda com os olhos fechados mas virando-se no sofá.
-Vai pró quarto. Vai dormir. Já é tarde.
Ela como um boneco animado levantou-se de repente e fez exactamente o que eu lhe disse. Ajeitei o sofá e as almofadas e apaguei a tv.
-Jane! – chamou ela antes de entrar no quarto.
-Sim. – olhei-a.
-O Aimar passou por aí. Perguntou por ti… eu disse-lhe que tinhas ido pró norte mas que ainda voltavas hoje…
A minha primeira reacção foi ficar surpresa, o que é que ele quereria. –Ele não disse mais nada? – perguntei.
-Não…. Boa noite. – disse-me.
-Boa Noite. – retribui-lhe.
Apaguei a luz e entrei no quarto. Deitei-me na cama, pensando bem só me apetecia chorar. Tinha sido tão bom estar com a família, mas por outro lado já estava a morrer de saudades. Era o que dava passar toda a minha infância e adolescência, pertinho de todos, e do dia para a noite ter de os deixar. Depois lembrei-me do que a Sara me tinha dito e de tudo o que tinha passado pela minha cabeça enquanto fazia a minha viagem.
Peguei no telemóvel e escrevi. “Hola, esperó que no tejas durmiendo, yo sé que es tarde, pero solo cheje ahora. Sara me ahí dijo que pasaste por aquí, querías hablar conmigo? Besos, Jane.”
Despi-me, vesti uma das minhas camisolas grandalhonas e deitei-me. Não conseguia dormir. O meu cérebro simplesmente não queria deixar de trabalhar para que pudesse adormecer. Lá teria eu que contar carneirinhos se é que isso me ia levar a algum lado. Enterrei o rosto na almofada, passei a minha mão pelo resto da cama. Sentia-me sozinha. Fazia-me falta, o seu corpo ao meu lado, para me aconchegar. Para me fazer esquecer. Para me acalmar… Vi o meu telemóvel acender, e rapidamente peguei nele.
“Hola pequeña. No inda no estoy durmiendo. Si, quería mucho hablar contigo. Puedes pasar por aquí mañana  después del trabajo? Besos”
Mordi o lábio inferior, e limitei-me a pensar o que é que ele quereria de mim.
“Sí, claro. Te vejo mañana. Buenas noches.” – respondi.
E não demorou muito para que também ele me respondesse. “Buenas noches, besos cariño.” Aquele “cariño” aqueceu-me o coração. E lá consegui adormecer.
(…) Acordei com a Sara a puxar-me os lençóis. O despertador não tinha tocado. Peguei no telemóvel, e abri a última mensagem que tinha recebido ontem. Voltei a lê-la, e um sorriso se formou nos meus lábios. Sim, admito. Eu estava completamente e incondicionalmente apaixonada por ele. Voltei a olhar para o relógio. Não estava atrasada, mas tinha claramente menos tempo para me arranjar.
Depois de uma manha apresada, lá me arranjei muito rapidamente. Uma camisola lisa e com uma saia de cinta subida com um padrão florar, pretas, e com os meus Louis Vuitton também eles pretos, e perfeitamente combinados com as minhas meias leopardo tornava-me num conjunto ambulante apelidado de killer no mundo da moda. E lá fui eu.

 

 


 

Cheguei ao estádio da luz mesmo em cima da hora, o que nem me aquecia, nem me arrefecia, gostava de ser pontual, só não tolerava atrasos nem comigo mesma.
Hoje era o dia combinado para tirar as medidas aos dirigentes, presidente, treinador e adjuntos. Mas já tinha combinado com a dona Amélia e com a dona Maria que elas tratariam disso. Eu tinha de me certificar do óptima confecção do protótipo do fato e da qualidade. Mas fiz questão de querer ser eu a tirar as medidas ao presidente para ele poder ver os meus dotes e qualidades ao nível do trabalho. Não o queria desiludir em nada.
I isto tudo numa manha. Almocei uma salada de frutos do mar muito rapidamente e voltei ao meu ateliê. E estava completamente perdida nos meus pensamentos quando o Javi me entrou por lá dentro.
-Hola Chica! – disse-me.
-Hola Javi, como estas?
-Muy bien y tú?
-También. Mira que quieres?
-Yo te quería convidar para una fiestita.
-Fiesta? Cuando Javi?
-Hojeé! Yo voy con mi enamorada, David también y como no queríamos dejar Rubén solo, piénsanos en convidar-te.
Franzi o sobrolho e mordi o lábio ainda que tentando desculpar-me já antes de falar.
 -Javi, mi disculpa pero no posó.
-No? Entonces porque?
-Porque tengo que ir a un sitio hojeé, perdóname.
-Ahhh, pronto. Se no puedes…. Hasta luego.
-Besos...
Ele chegou-se ao pé de mim e apontou com o dedo para a bochecha. Ri-me. E dei-lhe um beijinho.

E lá voltei eu ao trabalho, mas digamos que foi uma tarde de trabalho que até passou bastante rápido. Dirigi-me ao meu carro. E segui até casa do Aimar.
Estacionei atrás do prédio e toquei a campainha.
-Si? – ouvi perguntarem do outro lado.
-Soy yo. – respondi. E ouvi o barulhinho da porta que me indicava que esta já se encontrava aberta.
Entrei no elevador, subi até ao 14º piso. Saí e bati à porta. Ele abriu, sorriu-me. E eu derreti-me logo ali. Não havia maneira possível de que resistir àquele sorriso. Cumprimentou-me, e mandou-me entrar e assim eu fiz.
-Mira, acomódate yo voy so terminar una jamada. – disse-me.
Vi-o desaparecer para o escritório. E eu dirigi-me a varanda. Este devia de ser o sítio que eu mais adorava desde que tinha chegado até Lisboa. Apreciar cada traço da cidade desde dali, fazia-me bem. Era fim de tarde. O céu estava mais alaranjado do que azul. E as sombras fortes provocadas pela luz que ainda batia nos milhares de casinhas contrastavam com as cores vivas das mesmas. E por momentos deliciei-me com aquela paisagem, uma vez mais. Não foi preciso muito para eu perceber que o Aimar se encontrava pouco mais do que uns centímetros atrás de mim, mesmo sem me virar. Era quase como se sentisse a sua presença.
-Que querías hablar conmigo? – perguntei, sem me virar e sem deixar de contemplar aquela vista maravilhosa.

 

 

9


Subitamente observei as suas mãos pousarem sobre o corrimão que rodeava a varanda, prendendo-me entre o seu corpo e o extremo da varanda.
-Que passa con nossotros? – perguntou-me bem junto do meu ouvido.

Os meus lábios entreabriram-se para soltarem um suspiro ainda que silencioso, o meu corpo estremeceu. Senti as minhas bochechas virarem um vermelho vivo, mesmo sem as ver. Fechei os olhos por segundos. Utilizei o pouco espaço que tinha para me virar para ele. E sem o encarar directamente, pousei o meu olhar sobre o seu peito, o meu corpo estava a ligeiros centímetros do dele. Respirei fundo, encarei-o. As minhas mãos fizeram o seu caminho até ao seu rosto, puxei-o ligeiramente para mim, e os meus lábios sentiram pela primeira vez os dele, num beijo doce e incrivelmente terno. Em segundos os seus braços envolveram a minha cintura puxando-me para ele. As minhas mãos brincavam agora com os seus cabelos, mordi-lhe ligeiramente o lábio inferior quebrando por segundos o beijo, que ele continuou procurando os meus lábios de novo, com os seus. Um beijo que rapidamente se tornou numa dança de línguas, que em minutos me fez levitar e esquecer tudo. Em minutos a minha mente ficou clara como agua. Era ele quem eu queria. Era dele que eu precisava.
E parecia que o beijo tinha durado uma eternidade.
-Perdóname. – disse-lhe quase sussurrando ainda com o meu rosto a centímetros do dele.

-Porque? Por me ter bejado? – perguntou-me  e esboçou um sorriso.
Instintivamente os seus lábios procuraram de novo os meus, acabando com os escassos centímetros entre os nossos rostos. Um beijo intenso que me deixou completamente sem fôlego.
-Entonces, perdóname también por favor. – disse-me depois de quebrar o beijo.
Ri-me. Senti as minhas bochechas voltarem ao avermelhado de antes. Sem dúvida elas falavam por mim. Era como se tivessem vida própria e as vezes, só me apetecia meter-me num buraco.

Entramos e ambos nos sentamos no sofá. Em silêncio. Ele passou a mão pelo meu cabelo e quebrou o silêncio.

-Te arrependes de me ter bejado? – perguntou.
Olhei-o nos olhos -No. –disse-lhe, baixando o olhar de seguida.
Ele agarrou no meu queixo e obrigou-me a olhar para ele. – Porque lo fizeste? – perguntou. Senti o meu nervosismo aparecer. Nunca me tinha sentido perfeitamente à vontade para dizer a alguém que o amava, muito menos ao Pablo Aimar. E se me dissessem que o estaria a fazer a uns meses atrás provavelmente diria que quem pensou isso estaria bêbado. –Y tú, porque me bejaste? – perguntei fugindo à pergunta.
- Porque me gustas. Me gustas mucho… Tú has trazido de nuevo la alegría para mi vida. Yo no me siento más solo cuando estás conmigo. Pero eso no responde a mi pregunta.

Olhei-o incrédula, não estava de todo à espera de uma resposta daquelas. O meu coração quase saltou fora do sítio. E pela primeira vez na minha vida, o homem por quem eu estava perdidamente apaixonada, tinha-me dito o que sentia antes de eu abrir a boca para dizer todos os disparates que me iam cá dentro. Engoli em seco, deixei escapar um pequeno sorriso e voltei a desviar o meu olhar para o chão. Ao qual ele pegou de novo no meu queixo e obrigou-me a encara-lo novamente.
-Yo ajo que… Pienso que… - faltavam-me as palavras…Ou será que estava apenas com medo de dizer algo errado – Yo… yo estoy completamente enamorada de ti. – confessei por fim. E vi um brilhozinho nascer no seu olhar, as minhas bochechas viraram vermelho puro. Ele sorriu. E como eu amava aquele sorriso. Baixei de novo o olhar envergonhada, pelas minhas próprias palavras. Eu simplesmente não conseguia evitar. Eu era sempre tão envergonhada quando gostava de alguém que nem parecia a mesma. Ele riu.
-Fichas tan hermosa cuando estás envergoñada.
Olhei-o, mordi ligeiramente o lábio inferior e ele rapidamente me roubou um beijo. Perdi a noção do tempo e do espaço, e aninhei-me no seu colo, onde me deixei ficar enquanto víamos tv.
(…)
Peguei no telemóvel para ver as horas, e reparei que tinha 20 chamadas perdidas da Sara. E 5 mensagens que me perguntavam constantemente onde estava. Eram 8 da noite e eu tinha perdido completamente a noção do tempo.

-Merda esqueci-me da Sara! – disse disparadamente mal vi as chamadas e as mensagens. Mas tão depressa como isto me tinha saído, me lembrei de onde estava e com quem estava. Olhei para trás para o encarar. –Ups! – disse pondo uma mão sobre a minha boca. Ele riu…
-Tienes que ir? – perguntou-me.
-Si… Yo prometí a Sara que hojeé iríamos yantar fuera. Pero lo olvide.
Peguei rapidamente na minha mala e dirigi-me a porta à qual ele me acompanhou. Agarrei o puxador da porta para a abrir, mas virei-me rapidamente para trás.
-Me olvide de outra cosa…
E antes que ele me pudesse dizer o que quer que fosse, beijei-o levemente nos lábios. Quebrei o beijo, mas ele lá me roubou mais um rapidamente. Senti-o sorrir contra os meus lábios. Também eu sorri, e saí.
Fiz todo o meu caminho até casa, com um sorriso enorme nos lábios. Só deus sabia o estado de êxtase e felicidade em que eu estava. Depois lembrei-me da Sara e corri pelo prédio fora antes que ela chamasse a polícia para me procurar. Nem esperei pelo elevador.  

 


 

tags:
sinto-me: :3
música: MARINA AND THE DIAMONDS | HOLLYWOOD
link do postPor pablitoaimar, às 18:45  comentar

De caty_silva a 29 de Outubro de 2010 às 20:05
OI!!

Já te disse que tenho lido os capítulos mas que não tenho comentado!

Então desde já fica o pedido de desculpas! :P

E agora o comentário...

Adorei todos os capítulos!!!

E Finalmente estes dois se beijaram... agora quero mesmo a continuação...

Fico à espera dos próximos...

Bjs

De MartaSousa a 29 de Outubro de 2010 às 22:21
eu amo isto.

De sofiarc ॐ a 29 de Outubro de 2010 às 23:47
Ai, meu Deus +.+
Estou a ADORAR a tua fic, Jane.
Eu já tentei escrever uma fic do Aimar mas como não sei falar espanhol, fiquei-me por uma fic do David xp
Escreves tão bem.
Continua a escrever e, por favor, posta TODOS OS DIAS :b
beijinhos, sofiarc ॐ

De Catia a 30 de Outubro de 2010 às 00:55
Olá querida! Nao conhecia a tua fic mas andei a actualizar-me nela e já li tudinho. So tenho uma palavra Amei! Ai o aimar e todo upa upa :D

E reparei que no inicio disseste que o teu espanhol nao era bom, e para te corrigirmos e bem eu vou fazer isso, desculpa, nao e por mal, nem por arrogancia nem nada mas acho que assim com menos erros a fic ate fique melhor. Nao me leves a mal!

vejo - veo
pequeno almoço - desayuno
cheje- llegué
hoje - hoy
namorada - novia
convidar-te - invintar-te
posso - puedo
chamada - llamada
nós - nosotros
beijado - besado
beijaste - besaste
fizeste - hiciste
trazido - trago
ajo(acho nao existe em espanhol a palavra) - diz-se pienso
ficas - te quedas
envergonhada - avergonzada
jantar - cenar

Continua com a fic que eu vou continuar a acompanhar
Beijinhos

De Bianca a 30 de Outubro de 2010 às 02:37
Antes de mais: Obrigada ! ^^
E volto a repetir e repetirei as vezes que forem precisas : ADOREI !! +.+
Adoro a tua fic! Finalmente beijaram-se ! : DD
Também gostas de Coldplay? Eu amo. é das minhas predilectas !! xDD
Continua!
Beijão !

De Bianca a 30 de Outubro de 2010 às 02:38
* bandas predilectas

De Sarufa a 30 de Outubro de 2010 às 14:20
Para brindar a esta fic nada melhor que o golaço que o Pablito marcou ontem. Uma autentica obra-prima, não fosse ele um Millonario. Ele e o Saviola são a grande força do River Plate no Benfica. (só o gaitán para ser do contra hehehe)

mais sobre mim
●▲■▼
chat
ⓐⓘⓜⓐⓡ
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic