22.2.11

Acordei, pronta para o meu último dia em Barcelona.
Vesti uns jeans básicos com uma camisola larga de lã cinza e umas botas de salto alto. Cabelo solto, um pouco de maquilhagem o básico.

 


Estava pronta para a entrevista, tomei o pequeno almoço mas a minha conversa com o Piqué ainda não me tinha saído da cabeça. Aquilo não podia estar relacionado com o que eu pensava estar. Não podia! Não agora!
Saí do hotel até aos escritórios da Vogue Espanha. A entrevista com a Yolanda correu muitíssimo bem, e as perguntas tinham sido todas fáceis de responder. No geral acabei por falar da minha colecção e do tema da mesma, dos meus trabalhos ligados ao desporto, das minhas inspirações, de futuras colecções de outros designers e um pequeno resumo da minha vida enquanto uma jovem designer. E assim em dois dias de trabalho tinha feito o que era necessário para aparecer na Vogue de Fevereiro que ia receber em primeira mão ainda nessa tarde. Sinceramente estava ansiosa para ver o resultado.
Preparei as malas e decidi ir dar uma volta pela cidade, afinal o meu avião só partia as 19h.
Acabei por visitar os locais históricos e os cafés absolutamente maravilhosos da baixa da cidade. Passei pelo Camp Nou, na minha cabeça, as ideias de isto poder a ser um futuro trabalho, apareciam agora como prós e contras. Estava na hora do treino as pessoas entravam agora pelas portas. Ainda pensei em ir assistir ao treino, mas pensei duas vezes no sucedido da noite anterior e preferi não ir. E como que num acto de coincidência, senti o meu telemóvel vibrar o que me afastou destes pensamentos.
“¿Coando vuelves a Lisboa? – Leo”
Revirei os olhos, e suspirei, era como se ele conseguisse saber o que ia no meu pensamento naquele exacto momento. Ainda pensei em não responder, mas ele não me tinha feito nada para que eu não o fizesse. Não era eticamente justo.
“-Luego, mi voolo és as la 19h…Bueno treino. –Jane”
Desliguei o telemóvel para que não tivesse que pensar mais no assunto. Voltei ao hotel, aproveitei para descansar no spa e limpar a minha cabeça. Senti a minha barriga a dar voltas, estávamos ambos com fome. E lá fui eu comer por dois. Assim a comer, mais tarde ou mais cedo ia estar a uma autentica bolinha e redondinha.
As 18h recebi uma chamada da recepção. Uma encomenda tinha chegado para mim. Era  a edição exclusiva da Vogue e tinha que a guardar como se fosse a minha própria vida, afinal a revista só seria publicada nas bancas daqui a 2 semanas. E lá estava, na zona dos jovens criadores, 4 páginas preenchidas por fotos minhas com colunas de texto com tudo o que eu tinha dito. Era disso que eu gostava na Vogue. Eles colocavam apenas o que as pessoas diziam, não inventavam nada.
E eu achei fantástico, só esperava que os leitores achassem o mesmo e talvez isso me abrisse a porta para novos trabalhos.
A minha felicidade, foi imediatamente invadida por um toque suave na porta do meu quarto. Achei estranho, mas fui abrir. E juro que quando abri a porta o meu corpo congelou.
-Hola.
-Hola Leo. –foi tudo o que eu consegui dizer, e afastei-me para que ele entrasse. Engoli em seco e fechei a porta atrás dele assim que ele entrou.
-¿Vogue? ¿Puedo ver? – perguntou com a revista nas mãos.
-Sí, pienso que sí.
Vi-o abrir a revista e folhear-la até que parou na parte onde eu aparecia. Deu uma vista de olhos e por entre caras sérias e pequenos sorrisos, disse que estava muito bom.
-Que haces aqui? – perguntei-lhe directamente.
-Vin despedir-me de ti… - disse aproximando-se de mim…
O seu rosto aproximou-se do meu, senti o meu coração acelarar, parei de reagir, senti o meu corpo aquecer e provavelmente as minhas bochechas ficaram avermelhadas. Senti os seus lábios beijarem-me a face a escassos centímetros dos meus lábios. Beijo esse que deu origem a um abraço que me fez sentir o seu coração acelerado contra o meu peito, só esperava que ele não sentisse o meu.
-Leo, eres mejor ires… - disse-lhe. Não sabia minimamente o que se passava comigo, não conseguia reagir. Nem olhá-lo nos olhos.
-Sí… hace una buena viagem , despues hablamos.
-Sí… - levei-o à porta e fechei-a assim que ele saiu.
Senti o meu corpo colar-se à porta e deslizar até ao chão. Não conseguia explicar o que se passava comigo, estava frustrada e senti lágrimas escorrerem-me pelo rosto. Precisava de um abraço do Pablo, dos seus beijos, do conforto dele. Simplesmente dele! Limpei as lágrimas, peguei nas malas e fui para o aeroporto.

tags:
sinto-me: u.u so tired
música: katharine mcphee - over it
link do postPor pablitoaimar, às 23:11  ver comentários (4) comentar

Desculpem a demora com os novos capitulos mas estava cheio de trabalho na escola. Bem hoje tenho dois capitulos para voces, um agora e um depois do jantar, espero que gostem!


 

 

 

 

A minha procura de trabalho ainda agora tinha começado, mas teria que parar por dois dias. Tinha recebido, digamos que, uma proposta bastante interessante. Na quarta-feira recebi um telefone da editora da Vogue Espanhola, Yolanda Sacristán, convidando-me para encher a vogue espanhola de Fevereiro num total de 4 páginas… Basicamente, isto era uma oportunidade de aparecer na secção dos jovens criadores, de uma das mais conceituadas revistas de moda, em 4 páginas dedicadas só a mim, com uma produção fotográfica e colunas onde falarão da minha colecção e dos meus pontos de vista. Como puderia eu recusar esta oportunidade? Pois, não podia!
Fiz uma pequena mala com o essencial, despedi-me das pessoas mais próximas e viajei para Barcelona… Instalei-me no mesmo hotel onde tinha passado os 4 meses mais atribulados da minha vida e fui recebida muito afavelmente.
Tinha a photoshoot para a vogue esta tarde, pelo que tinha recebido nas indicações, o objectivo era não ser nada “formal”… O objectivo era ser o mais simples e normal possivel, por isso iriamos fazer uma sessão de fotos num pequeno hotel no centro da cidade, com umas roupas básicas, (t-shirt and jeans) no fundo o mais natural possivel.
Quando cheguei ao local, já tinha a acessora da Yolanda à minha espera, para me indicar o guarda-roupa e a maquilhagem/cabelos ainda que fosse muito pouca. No local estava tambem a fotografa, que não me era nada estranha, mas ignorei esse facto.

-Hola Jane, yo soy Patricia González y voy ser tu fotógrafa.
Sorri-lhe e escutei atentamente as indicações para o que ela queria que eu fizesse.
E rapidamente em meia dúzia de fotos fizemos um photoshoot simples e minimalista na sala e quarto do hotel. Apenas tinha que agir naturalmente e deixar-me fotografar. Achava engraçado o facto da Patrícia me tratar como se me conhecesse, deixava-me mais a vontade.
-Muy bueno. Te saliste muy bien. -disse-me assim que acabei.
-Las puedo ver? – perguntei
-Si claro Jane. – disse sorrindo-me e passando-me a maquina para as mãos.
-Que eres lo que yo imaginava de ti. – disse-me o que me distraiu completamente das fotos. Não percebia o porque de ela me estar a tratar assim como se me conhecesse, mas a minha expressão de confusão total deve tê-la feito perceber isso.
-Perdona-me! – disse-me. –Yo soy la novia de David Villa, el me há hablado de ti quando te quedaste aqui, y Leo habla mucho de ti.
Ok, isto apanhou de surpresa, agora percebia o porque de ela me tratar como se me conhecesse, mas a ideia de saber que eles falavam de mim, especialmente o Messi, deixava-me sem saber o que pensar.
-Las fuetos estan fantásticas que despues te mandan una cópia de Vogue sólo para ti. Pero diz-me cuantos días te vás queedar en Barcelona?
-Dos! Tengo la entrevista con Yolanda mañana.
-Que bueno, entonces puedes venir con nosotros a cenar hoy!
-Patricia, yo no…
-Por Favor! Tienes que venir, yo te doy las direcciones.  -disse-me interrompendo-me
-Esta bién yo voy com vosotros! – disse-lhe.
Voltei ao hotel, estava um pouco cansada, apesar da sessão não ter sido assim muito cansativa, mas eu ia fazer um esforço para estar com eles já não os via a algum tempo e aproveitava para lhes dar na cabeça por causa do jogo com o Arsenal.

 

Optei por um look mais formal ainda que a pender para o simples visto que o restaurante em questão era um dos mais conceituados na cidade.
Levei um vestido de cetim pessego, com um casaco de renda por cima, uns botins cor-de-pele que completavam o conjunto, uma pouco de maquilhagem e o cabelo solto.

 

 

Apanhei um táxi e quando lá cheguei já lá estavam alguns rostos bastante conhecidos que se iluminaram com um sorriso assim que me viram.
-Que estas haciendo aqui? – perguntou-me o Piqué incrédulo.
-Yo la envité, Gerard! – respondeu a Patricia.
-Sí.
-Y que vieste desde Lisboa para aqui para nos ver? Jajaajaj que me sinto honrado.
Ri-me. – No Piqué! Estoy en Barcelona hacendo un trabajo para la Vogue y Patricia fue mi fotografa hoy y me há envitado por eso vin para matar las saudads.
Cumprimentei o Xavi e o David que também já se encontravam presentes e pouco tempo depois os outros foram chegando e reagindo todos de forma surpresa por me verem. À excepção do Messi que não pareceu surpreso apenas me sorriu.
O Jantar decorreu bastante animadamente sem perturbações até porque o restaurante estava reservado apenas para nós.
Depois do jantar fomos até a varanda do restaurante que para além de ter uma vista maravilhosa sob a cidade tinha um bar onde nos deliciamos com um pouco de licor e uns dedinhos de conversa. Vi o Lionel, mais ao lado, contemplando aquela vista sob a cidade, parecia pensativo e eu não queria interromper os seus pensamentos mas segui até lá.
-No me parecias surpreso por me ver. – disse-lhe sem olhar directamente para ele apenas para a cidade.
Vi-o sorrir ligeiramente. – Yo sabia que vénias, David me hay dijo!-
Ri-me e acenei que sim com a cabeça. Claro que mais poderia ser?
-Entonces… Vogue huh? Muy Bueno no? – disse virando-se para mim
-Sí pero no me encanta mucho la atencione mediática, pero yo necessito della para mi trabajo por eso tengo que aproveitjar. – disse-lhe virando-me para ele, o seu olhar estava brilhante, distante, pensativo.
-Compreendo… Y ya te quedaste trabajando en Lisboa.?
-No inda no encontré un trabajo todavía!- disse-lhe sinceramente desiludida.
-Que el president del Barça anda buscando alguien para hacer el design del equipament del club.
-WOW! –ri-me. -Lionel Messi, mi personal assistenté me arranjando trabajo! – disse num tom de gozo.
Ele riu. –No! Que solamente piense que hicieste un bueno trabajo com Benfica porque no hacerlo con Barça! Tu necessitas trabajo! Barça necesita un designer para los equipaments! Problema resolvido.
-Gracias Leo, pero pienso que no puedo vuelver tan rápidamente a Barcelona! Tengo asuntos a tratar en Lisboa! – discretamente passei a minha mão pela barriga. Era uma boa proposta de trabalho mas tinha que pensar no meu bebé e não ia conseguir estar mais uns meses longe do Pablo, especialmente agora.
-Pero no necessitas de venir para la cidad. – disse-me.- Puedes trabajar en Lisba y vienes aquí solamente para los provarmos! Se quisieres yo puedo hablar con el president.
-Tengo que pensar en el assunto, pero luego, luego te doy una respuesta. – disse-lhe. O meu olhar voltou a vislumbrar aquela cidade magnífica e o silencio instalou-se sobre nós por segundos.
-Estas muy hermosa! – disse-me e pude ver um pouco de timidez no seu rosto. Este simples gesto incomodou-me mas decidi não dar importância a isso.
Ri-me –Callate, Leo! Que no! – disse-lhe e segui para perto da Patricia e do Villa.
-Patricia, me voy, mañana tengo que me despertar muy ciedo para la entrevista com Yolanda pero gracias por tudo. – disse despedindo-me dos presentes.
-Como te vas a el hotel? – perguntou o Piqué.
-Taxi! – respondi.
-No espera! Yo me voy  también tengo que ir buscar mi noiva te puedo levar al hotel.
-No és necesario Pique! Yo VOY de taxi, gracias!

-No! Yo te hay dijo que te llevo! Yo te llevo! – insistiu e eu cedi.
Entramos no carro, disse-lhe qual era o hotel e seguimos.
-Me gusta mucho tenerte aqui! Eres una chica muy buena e felíz.
Ri-me. –Gracias Gerard! Pero vosotros son también.
-Te deberías quedar aquí! Poderias encontrar el amor de tu vida. – disse-me olhando-me pelo retrovisor.
Senti um arrepio no meu corpo. –Mi vida es en Lisboa, Gerard. Y yo ya encontre el amor de mi vida. – disse-lhe muito frontalmente.
-Que pena que no te quedes aquí. Sabes que aquí mucha yente gusta de vos. Te sentirías en casa.
Ri-me sínicamente. –Oh Piqué! Para! Que no me vas convencer. Me gusta mucho Barcelona pero Lisboa és mi ciudad. Pero talvés y tenga que vuelver más rápido de lo que piensas. Pelo menos para vos ver seren campiones
.
Ele sorriu e deixou-me no hotel.


 

link do postPor pablitoaimar, às 20:36  ver comentários (2) comentar

mais sobre mim
●▲■▼
chat
ⓐⓘⓜⓐⓡ
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic