3.11.10

13

 


Cheguei a casa e atirei-me para o sofá isto não me podia estar a acontecer.
-Que cara é essa, querida. – perguntou-me a Sara que tinha acabado de vir da cozinha com uma taça cheia maltesers na mão.
Tirei um. – Nem vais acreditar.
-Podes começar. – disse-me para eu continuar.
- É o Rúben…. Eu fui a casa dele, porque ele queria falar comigo e… Ele diz que gosta de mim.
-Asério? – perguntou-me espantada!
-Sim… - comi mais uns quantos.
-Mas, contaste-lhe do Aimar.
-Não… Ele apanhou-nos na garagem do estádio ontem.
-Apanhou-vos? – soltou uma gargalhada.
-Não tem piada!
-Tem sim! E o que é que lhe disses-te?
-Eu disse que ele tinha de me esquecer! Mas opa… Eu não quero nada com ele. Nada mais do que amizade. Eu não sinto mais nada por ele, apenas amizade. Mas não quero perde-lo como amigo. Se não fosse por ele, eu talvez nem estivesse aqui Sara!
-Eu acho que ele sabe disso e que não vai tomar nenhuma decisão acriançada. Ele vai continuar a ser teu amigo. Acho eu!
-Pois… Homens nunca se sabe!
-Foi mau amiga! Muita coisa no mesmo dia. – riu-se e eu olhei-a. –É verdade, primeiro vais para a cama com o Aimar, depois vais conhecer os pequeninos dele e depois ainda tens o Ruben a dizer que gosta de ti. Too much information. E… vais ter de contar isso ao Aimar… - disse-me como que a informar-me. -Nem penses em ocultar isso. Se vocês estão numa relação é bom que não tenham segredos. Senão não vai durar muito.
-Eu sei! E eu não fazia intenções de esconder isso dele. Só não quero que isto traga mau ambiente no plantel. São ambos bons jogadores.
-Pela parte do Aimar, duvido. – disse-me. – Ele tem cabecinha. Não vai ligar nada a isso a menos que o Rúben se aproxime do que é dele.
Ri-me. –Sim, o Pablo é calminho.
-Mas agora fiquei com curiosidade em saber uma coisa? – olhei-a. –Uma coisa que me esqueci de te perguntar depois.
-O que? – perguntei.
-Afinal eu tinha razão ou não?
-Sobre o quê?
-Sobre o Aimar… - disse fazendo-me olhinhos.
Olhei-a com cara de “do que é que estas a falar”
-Ele é bom na cama ou não? – perguntou-me directamente.
-Oh não! – disse-lhe revirando os olhos.
-Oh não nada. Anda lá conta-me amorzinho. – implorou com os olhinhos.
-Não, ele não é bom! – ela olhou-me boquiaberta. –É óptimo! Muito bom…mesmo! – disse-lhe sentindo as minhas maças virarem um vermelho vivo.
Ela riu-se. –Eu sabia! – disse vitoriosa.
-Bem, mas vamos lá parar com esta conversa que eu tenho mais em que pensar. – disse levantando-me do sofá.
-Tipo? – perguntou ela curiosa. Eu não conseguia esconder nada dela.
-Tipo no aniversário do Pablo. E também em amanha, que vou ter de trabalhar até tarde e já não vou ver o jogo com o Lyon. – disse com uma cara de aborrecida.
-Quando a que ele faz anos?
-Quarta- feira.
-Já sabes o que lhe vais oferecer. Eu aposto que ele ficava feliz só com um beijinho teu. – disse-me sorrindo sinceramente.
-Sim…Mas por acaso já pensei. Preciso só de fazer uns telefonemas.
-Ui, telefonemas! Isso promete. Mas ele vai fazer uma festa.
-Não! Quer dizer. Olha… sabes como ele é. Não gosta dessas coisas. Por isso vai ser assim uma coisa mais discreta. Só vão os pais dele e o irmão e a namorada, e eu e os pequeninos. Ahhh e o Saviola e a Romanella.
-Pois, vindo do Pablo é normal. Mas diz-me lá que prenda é essa.
-Se tudo correr como eu quero, eu depois digo-te. – disse-lhe piscando o olho.
Não pensei em mais nada e dormi, aproveitei para descansar. Se bem que começava odiar ter de dormir sozinha. Queria adormecer em paz e sossego e sentir o seu corpo ao meu lado. Era tão difícil ter de adormecer sozinha. Eu diria que é uma daquelas coisas que depois de experimentarmos não queremos outra coisa. Eu não queria mais dormir sozinha.
Acordei, muito bem-disposta por sinal.
Vesti uma roupa mais formal. Hoje ia ter reunião com o LFV e teria que trabalhar até tarde o que me impossibilitava de ir ver o jogo. E isso deixava-me um quanto aborrecida. Queria lá estar para apoiar o Pablo. Optei por uma camisola cinza escura com umas calças larguinhas de cinta subida com padrão de leopardo. Bem, olhando para o meu guarda-roupa tinha muito leopardo. Era outra das novas tendências este outono/inverno. Vesti o meu blazer com toques de estilo militar também ele cinza escuro, calcei os meus dolce & gabanna, estiquei o cabelo para variar e lá fui eu.

 

 

 

Cheguei ao estádio e ainda era cedo por isso aproveitei para ir tomar um café a um dos cafés do recinto. E mal entrei tinha logo o plantel e a comitiva desportiva toda junta em peso a tomar o pequeno-almoço.
Todos me sorriram, alguns ainda gesticularam um pequeno adeus e eu retribuí.
Pedi um café no balcão. E senti um corpo perto do meu, reconheci logo pelo perfume intenso que se fazia sentir.
-Buenos días cariño. – disse-me.
-Buenos días. – disse-lhe virando-me para ele.
-Sentí tu falta esta noche. – susurrou-me ao ouvido dando-me um beijo mesmo no cantinho da boca.
Soltei um ligeiro e envergonhado sorriso.
Olhei para o outro lado do estabelecimento e vi o Rúben com os olhos postos em nós e com um ar bastante triste. Voltei a por os olhos no Aimar que se encontrava com um sorriso lindo, como só ele tinha nos lábios. Não ia falar do que se tinha passado agora. Depois falaria com ele.
- Bons dias, está muita bonita, menina Jane. – disse-me o Jorge Jesus que tinha acabado de aproximar-se também do balcão.
-Muito obrigado! – disse-lhe sorrindo.
-Vamos prepararmo-nos para o treino, não te demores Aimar. – disse-lhe o JJ.
-Sí!
E vi todos os jogadores levantarem-se para seguirem para o treino e o JJ os acompanhar.
-Donde vas? – perguntei-lhe.
-Tengo que ir hablar con médico. –disse-me.
Levei imediatamente as minhas mãos ao seu rosto. – Pero estas bien, que pasa cariño?
Ele riu-se da minha preocupação e roubou-me um leve beijo nos lábios. –No te preocupes guapita, yo solo desperté un pouquito mallé dispuesto…

Despedi-me dele, desejei-lhe um bom jogo. E subi para começar a trabalhar.
Acabei o design das camisolas e de seguida tive reunião com o LFV que adorou a qualidade do protótipo dos fatos, agora era só por a confeccionar em quantidades.
Também aprovou o design das t-shirts mas ficou acordado que queria 3 protótipos primeiro, igualmente.
Depois da reunião fui almoçar o que coincidiu com o almoço dos jogadores. Mas achei estranho e comecei a ficar preocupada quando não vi o Aimar entre eles.
-Savi, donde está Aimar? – perguntei-lhe.
-Ele está com lá equipe médica… elle se sintió malo, yaí vomitado e se quedo por lá.
-Pero, lo puedo ir ver?
-Sí claro.  – disse-me. – Jane, no te preocupes elle va a quedar-se bueno. – tentou-me tranquilizar. Mas e usó ficava descançada quando o visse.
Nem almocei, segui logo directa ao gabinete médico na luz. Bati e pedi logo para ver o Aimar, mal o doutor apareceu a porta.
Ele deixou-me entrar. E vi-o deitado numa pequena marquesa que tinha lá. Estava bastante pálido.
-Ele esta bem? – perguntei ao médico.
-Ele está com uma gastroenterite. Mas vai ficar bem. No entanto duvido que possa jogar logo.
Passei-lhe uma mão no rosto, e beijei-lhe a testa. Ele sorriu-me.
-Que no posso jugar?
-Não! – disse-lhe o médico
-Pero…
-No, no juegas e no hablamos más nesso. – interrompi-o.
-Pablo, o melhor é ir para casa e descansar. E de momento comida só líquidos. Vou dar-lhe uns medicamentos para tomar para parar com os vómitos. Mas tem de descansar.
Depois de tudo pronto saí do gabinete agarrada a ele.
-Mira nos vamos para casa.
-No inda eres ciedo. Yo posso quedar-me bueno e jugar!
Olhei-o. – Pablo, no. No vas jugar no! Vas descançar. Tu as escuchado lo médico.
Ainda passamos pelo JJ que dispensou o Aimar do jogo. Levei-o para casa e fiquei lá com ele. Fiz-lhe um chá de camomila e sentei-me ao seu lado no sofá.
-No tienes que ir trabajar? – perguntou-me depois de dar um gole no chá.
-Sí, pero no voy dejarte aquí solo.
-Yo puedo llamar a mi hermano.
-Yo me quedo aquí contigo. No importa, yo trabajo después.
Fiquei lá com ele. Deitei-o sobre o meu colo e cobri-o com uma manta. E ficamos assim a ver tv, enquanto lhe fazia festinhas no cabelo. Eu passava a maior parte do tempo mais atenta a ele do que propriamente a tv. Só queria ter a certeza de que ele estava bem.
Mandei uma sms a Sara a dizer que ia passar a noite em casa do Aimar e expliquei-lhe o que se passava.
Fiz uma sopa para o jantar e para já parecia haver melhoras ou pelo menos ele não tinha vomitado o chá nem a sopa.
Voltamos para o sofá para ver o jogo, que eu não queria que ele visse. Queria era que ele fosse descansar para o quarto, mas ele pedinchou tanto que o deixei ver.
Os comentadores começaram por dizer que ele não ia jogar.
-Pronto. Lo vamos a perder. – disse-lhe sinceramente.
-No! Tenemos que gañar. Porque dizes eso?
-Porque eles no tienem Aimar. – disse-lhe sériamente como se não estivesse a falar para ele mas sim para uma amiga qualquer.
E riu-se e enroscou os seus braços à volta dos meus ombros.
-Elles van a gañar. – disse dando-me um beijo no pescoço.
E vimos todo o jogo assim. Eu no meio do colo dele, cobertos por uma manta com os seus braços a volta da minha cintura.
E ele tinha razão. Porque ganhamos 4-3. Eram dispensáveis os 3. Ficava mais bonito 4-0. Mas o que importa é a vitória.
Depois do jogo lá o convenci a ir para a cama. Queria que ele descansasse apesar de já parecer bem melhor.
Deitei-me ao seu lado sempre com o olhar atento não fosse ele ficar mal outra vez. As minhas mãos recomeçaram com as festas no seu cabelo até que ele adormecesse profundamente sobre o meu peito.

 

14

 
 Acordei. Ele já estava acordado e olhava-me deitado ao meu lado enquanto me tocava levemente com uma mão na barriga.
-Hola, estas mejor? – perguntei.
-Sí.
- Despertaste à mucho?
-Un poquito.
-Porque no me despertaste?
-Porqué te quedas linda quando duermes.
Sorri, beijei-o primeiro suavemente e depois mais intensamente. Subi para cima dele, parei o beijo, e sorri.
-Felíz Cumpleaños cariño. – e beijei-o outra vez.
E levantei-me.
-Donde vas? – perguntou-me.
-Me voy. Tengo que ir buscar tu regalo.
-Regalo? Pero yo no quiero nada, cariño. Lo mejor regalo que me diste fue despertar-me a tu lado.
-Ohhh eres tan dulce cariño. –disse-lhe dando-lhe mais um beijo.
Despedi-me dele, combinei encontrarmo-nos de novo de tarde para depois jantar-mos com a família e com os amigos mais chegados.
Depois de muitas chamadas e de puxar muitos cordelinhos lá consegui arranjar a prenda do Aimar. E eu tinha a certeza de que ele ia gostar.
Passei o resto da manha com a Sara onde aproveitamos para irmos as compras e passar uma manha típica de gajas.

 

 

Optei por um vestido branco e simples para o jantar, levei o meu blusão cinza escuro com uns Oxford shoes brancos e pretos rasos. E estava pronta. Não queria parecer demasiado extravagante aos olhos dos pais do Pablo. Levei o cabelo solto e apenas com um risquinho nos olhos.
-Tão linda. – disse a Sara.
O Aimar passou por lá. Fomos buscar os filhos dele. E seguimos para casa do irmão Andrés onde seria a festa.
Chegamos lá e já lá estavam todos.
Cumprimentei o Saviola e a Romanella, disse um olá ao Andrés. E o Aimar levou-me para me apresentar aos pais dele. Por estranho que parece não estava assim tão nervosa. Acho que estava bem pior quando fui conhecer os pequenotes dele.
-Que guapa. – disse logo a mãe dele.
-Mama, Papa, esta es Jane, mi novia. – disse-lhes.
Ambos sorriram. E abraçaram-me com direito a beijo e tudo.
Segui até à cozinha para perguntar se precisavam de ajuda. E deparei-me com o Andrés a trocar pequenos beijos com uma rapariga.
-Ups! -disse. – Perdonamé! – e dei meia volta.
Eles riram-se. – Jane volve aqui! Esta és mi novia, Bianca.
-Hola Bianca.
-Hola. – disse-me com um sorriso. –Eres la novia de Aimar ?
-Sí! – respondi em uníssono com o Andrés. E ambos nos rimos.
Voltei a sala, não os queria interromper. E sentei-me ao lado da Romanella.
-Hola Jane, como estas?
-Bien e tu Romanella.
-Mucho bien… Entonces Aimar huh?
-Sí!
-Tienes mucha sorte, el es un hombre fantástico.
Sorri. A Sarinha chegou-se perto de nós. E queria que eu a pegasse ao colo e assim fiz.
-Jane, ya tienes le regalo de mi papa? – perguntou-me dando-me um beijinho delicioso.
-Sí!
-Lo que es?
-Sorpresa.
Jantamos todos muito animados, cantamos os parabéns ao Aimar o que fez com que aprendesse uma coisa nova pois não sabia cantar os parabéns em castelhano antes deste momento.
Começaram a dar-lhe prendas mas eu deixei-me ficar para o fim. E depois de todos os presentes abertos, entreguei-lhe uma caixa vermelha.
Ele olhou-me como se tentasse ler os meus olhos e abriu.
-No puedo crer… - disse-me.
-Como conseguisté eso. – perguntou o Saviola com os olhos arregalados mal viu o que era.
Eram umas chuteiras puma autografadas pelo Maradona.
Sorri. – Yo tengo mis coñecimentos. – disse-lhe piscando o olho.
O Aimar beijou-me ternamente nos lábios. – Gracias cariño.
Sorri-lhe, eu sabia que ele ia gostar.
Depois do jantar seguimos viagem para casa. Hoje os pequenotes dormiam em casa do Aimar. Estavam tão cansadinhos da noite que mal caíram na cama adormeceram.
O Aimar deitou-se na cama e eu segui até à casa de banho. Ainda tinha uma pequenina surpresa para ele. Se bem que ainda estava a pensar se a fazia ou não. Se fizesse eu sabia onde isto iria acabar…
Dei um jeitinho ao cabelo, vesti uma lingerie branca que tinha trazido de propósito para ocasião e que realçava bem as minhas curvas.

 

Abri a porta da casa-de-banho e encostei-me a soleira. Ele estava sentado na cama a despir-se.
- Feliz cumpleños carinho. – disse-lhe mordendo ligeiramente o lábio.
O seu olhar desviou-se para mim apreciando cada pedacinho de pele no meu corpo.
Ele levantou-se já apenas com as calças de ganga vestidas.
- Y este regalo es para mí también? – disse aproximando o seu corpo do meu.
-Regalo? Yo no lo sé.
Rapidamente me beijou intensamente e deixando o meu corpo entre o dele e a parede. A sensação de sentir o calor do seu corpo contra o frio da parede fez o meu corpo arrepiar.
A sua língua invadiu a minha boca, e iniciou uma dança maravilhosa com a minha.
Da minha boca passou para o meu pescoço. E eu já tinha perdido o controlo da minha respiração à muito tempo.
-Pablo… tus hijos están no cuarto al lado. – disse-lhe.
Ele continuou a beijar-me pasando do meu pescoço para o meu peito, barriga… Desapertei-lhe o botão das calças e puxei-as para baixo.
-Elles están durmiendo cariño. – disse voltando a beijar-me intensamente.
Senti as suas mãos puxarem o meu corpo para ele. Acariciarem-me os seios, tirarem-me o soutien. Todo o meu corpo arrepiou. Plantou pequenos beijos no meu pescoço e no meu ombro passando para o meu peito, onde mo beijou por momentos. Em segundos passou do meu peito para a minha barriga, passou pelo meu umbigo… Senti as suas mãos deslizarem as minhas cuecas pelas minhas pernas. Delicadamente pegou na minha perna colocando-a ligeiramente por cima do seu ombro, os seus olhos cravaram-se nos meus. Eu sabia perfeitamente onde o caminho que ele fizera ia acabar. E foi onde me beijou deliciosamente, e me fez gemer de prazer.
Ele fazia-me perder o controlo do meu corpo. E conseguia levar-me a um lugar que eu pensava não existir. Eu não aguentava muito, mais queria senti-lo em mim.
Puxei-o para cima e beijei-lhe os lábios intensamente. Deitei-o na cama e tirei-lhe os boxers. O meu corpo subiu para cima do dele, e senti-o de novo em mim.
Rapidamente os nossos movimentos aceleraram. Transbordava-mos de prazer, as suas mãos percorriam o meu corpo enquanto saboreava os seus deliciosos lábios. Ambos gemia-mos de prazer, sussurrávamos palavras de amor, sentíamos os corpos de ambos que se tornaram um só.
E numa última investida nos entregamos a um orgasmo conjunto de gemidos e prazer.
 

 

 

tags:
sinto-me: :3
música: ****
link do postPor pablitoaimar, às 19:16  comentar

De Bianca a 3 de Novembro de 2010 às 21:35
Estes três capítulos estão LNDOS !
Amei !! +.+
AHH, eu apareço ali! ( acho que sou eu : DD ) Obrigada ! ^^
Gostei mesmo, a sério, gosta da maneira que escreves ! x)
Muitos Parabéns !!
Continua !
BeijãoOOO !

De caty_silva a 4 de Novembro de 2010 às 17:45
Hey... ADOREI os capítulos!!!

Gosto da história e da forma como escreves!!! :P

Continua...

Fico à espera dos próximos...

De sofiarc ॐ a 4 de Novembro de 2010 às 23:15
aii, escreves tão bem, Janee +.+
quero capitulos novooos :b

De Rita a 7 de Novembro de 2010 às 11:26
Janee quando postas mais ? a tua fic está tão fixe, simplesmente adoro.

mais sobre mim
●▲■▼
chat
ⓐⓘⓜⓐⓡ
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic