24.11.10

26

 

 

Aproveitamos a manhã do 2º dia em Londres para visitar a cidade, visitamos um pub, percorremos a Oxford street, visitamos o  Madame Tussauds. E assim rapidamente se passou a manhã. De tarde tínhamos mais desfiles para ver. Almoçamos num restaurante típico de Londres, para variar. No entanto não deixamos de perceber que alguns paparazzis nos seguiam. Mas não demos importância ao assunto e agimos normalmente.
Para os desfiles optei por outro look completamente fora do normal. Escolhi um vestido de um dos grandes designers Ingleses de renome. Um Vestido da colecção de Outono/inverno 010 de Alexander Mcqueen. Um vestido de alta costura que os meus bolsos não eram capazes de suportar, mas que me tinha sido oferecido pelos meus queridos Storytaylors e que era perfeito para a ocasião. Era um vestido preto, de fazenda inspirado nos anos 30 com detalhes em renda e seda branca. Optei por uns sapatos também eles Alexander Macqueen, pretos. A maquilhagem era assim uma coisa mais discreta visto que o vestido falava por si só.

  

  

O shows do 2º dia iriam se realizar no The Portico Rooms. E chegamos bem cedo ao local, mais uma vez uma chuvada de flashes e ainda tentaram fazer perguntas mas fugimos estrategicamente a tudo. Entramos, e o sítio era fantástico, era completamente diferente do primeiro local, a nível arquitectónico e a nível do design também. Era magnífico e enorme. E muitos dos convidados ponham os olhos em mim devido ao meu vestido, o que de facto até me deu uns bons conhecimentos no ramo.
Nessa tarde vimos desfiles de Mulberry seguido de J. Maskrey, Clemency London e para terminar a colecção primavera/verão 011 da fantástica marca Acne.
Eu estava completamente maravilhada com as criações de todos os designers que tinha visto. E muito sinceramente não via a hora de ser eu ali, com as minhas colecções naquelas passerelles.
Depois de mais um fantabulastico backstage, voltamos ao hotel. O Pablo foi tomar um banho e eu aproveitei para me por a vontade. Livrei-me do vestido, dos sapatos e fiquei apenas em lingerie rosa com pormenores em renda preta.

  

 

 

Liguei o portátil e escolhi uma lista de musicas que já costumo ter gravada no player. Pus Play, aumentei o volume e rapidamente a “Raise your glass” da P!nk começou a tocar. Automaticamente o meu corpo começou a balançar ao som da música. E em segundos me deixei levar pela força da melodia. Ia olhando de vez em quando para a porta da casa-de-banho não fosse o Pablo sair e apanhar-me nesta figuras. Mas rapidamente me esqueci disso e comecei também a cantarolar a música ainda que num tom baixo.
- We will never be, never be, anything but loud! … Dirty Little FREAKS! Want you CMON’ CMON’ RAISE YOUR GLASS! RAISE YOUR GLASS!
E ao mesmo tempo arrumava as minhas coisas na minha mala, balançando o meu corpo de um lado para o outro. E sem me aperceber de o que se passava a minha volta inesperadamente senti uma palmada no meu rabo o que me fez dar um pequeno salto para a frente com o susto.
-EPÁ QUE SUSTO! – saiu-me logo a seguir ao mini salto. Olhei-o assim que o meu cérebro assimilou as coisas e admito que fiquei um pouco envergonhada pela situação, mas assim que vi o maravilhoso Homem que tinha à minha frente apenas com uma toalha a volta da cintura e ainda com o corpo a escorrer agua. Agua que corria deliciosamente pelos traços dos seus abdominais. E numa espécie de câmara lenta vi-o agarrar noutra toalha, esfrega-la nos seus cabelos, sacudidos sobre a mesma, e surgir um sorriso no seu rosto. E tudo aquilo que parecia uma cena de um filme onde o galã principal está na cena mais sexy do filme, rapidamente acabou assim que o meu telefone tocou.
Ele passou-mo para as mãos. No visor vi em letras pretas “Sara”.
-Oi mulher! – disse assim que premi o botão para atender.
-Olá. Então como vão as coisas?
-Óptimas! Estou a adorar. E por aí?
-Óptimas, o Franco está a adorar estes dois dias cá em casa!
-Mau, esse Jara que não abuse! – E mal disse isto o Aimar olhou para mim com ar curioso ao qual eu respondi com um sorriso.
-Ele não abusa não, pois não Franco? – perguntou para o outro lado da linha.
-No, no se preocupe Jane, e Pablito esta bueno?
-Pablo, está muy bueno sí Jara. – e ele voltou a olhar para mim.
-Oh Jane, mas quando voltas?
-Amanha! Já te tinha dito isso Sara.
-Oh mas eu preciso saber a que horas?
-Horas? É preciso ser assim tão precisa? Ou estas com medo que te apanhe com o “Jarra” na cama? – ri-me.
-Pára de lhe chamar isso. É Jara, ou Franco! Ele não é um objecto para colocar flores está bem?
-Não, não é. Mas é um homem com uma flor chamada Sara!
-Ohhhhh és um amor sabias!
-Sabia, o Pablo diz-me o mesmo!
-Convencida!
-Chata! Não tens mais nada para fazer?
-Porquê? Por acaso estou a interromper alguma coisa?
-Estas! Estas a interromper o tempo que podias estar a desfrutar com o teu amorzinho nas nuvens. Agora vai lá… Ahhh e nada de ir para minha cama! – avisei na brincadeira.
-Estou pra minha vida contigo Jane Marie!
-Vá bye bye sweetie.
-Xau Jane Aimar!
-O que é que tu me chamas-te? – perguntei do outro lado da linha incrédula.
-Põe em altifalante!
-Para quê?
-PÕE! – gritou do outro lado.
Lá pus e falei agora sem estar com o telefone encostado ao meu ouvido. –Já está!
-Então o que eu disse foi, Xau Jane Aimar! – ouvi do outro lado da linha onde a ultima parte da frase tinha sido proferida lentamente para se perceber bem. E em segundos ouvi desligar.
Pousei o telemóvel na mesinha de cabeceira do meu lado. E olhei-o nos olhos. Ele entretanto já se tinha limpado, tinha vestido uns boxers brancos e estava sentado ao meu lado na cama.
-Deja! Ella eres loca! – disse deitando a minha cabeça no seu ombro.
-?Jane Aimar? ¿Muy lindo no?
Ri-me. Eu não queria acreditar que ele estava mesmo a pensar naquilo.
-Sí, pero la única cosa linda aquí eres tu cariño!
-Oh sí claro, no debes ter pensado eso cuando viste el cristiano Ronaldo en Madame Tussauds – disse finjindo que amuava.
-Cristiano Ronaldo? – perguntei incrédula. –¿Esa cosa fea?
Ele riu. – Puedes hablar aserio no precisas decir que el eres feo…
-No pero… yo estoy diciendo la verdad. Lo que yo pensó. Yo no pienso que Christiano Ronaldo eres así tan guapo e tan lindo como todas la chicas dicen y quedan se babando por él. Yo… La verdad… no me gusta del. Pienso que eres un convencido de primera, e no me gusta. No se lo porque pero no me gusta. Prefiro mucho mas a Messi, por favor! – disse pondo tudo cá para fora.
-¿Messi? ¿De verdad? No esperaba eso de ti.  – disse olhando-me incrédulo.
-Lo admiro, pero no eres que me guste del así desea forma. Pablo… Tu sabes que yo solamente tengo ojos para ti cariño… Tu solo eres muy mejor que Messi, y que Ronaldo… Venga quien viere Yo solo te quiero a ti.

Ele beijou os meus lábios com um brilho de orgulho nos seus olhos.
-¿Puedo siempre te apresentar Messi? – disse quando quebrou o beijo.
-No quiero! Só quiero que me apresentes El Mago, Pablo Aimar, puede ser? – brinquei, trincando ligeiramente o lábio inferior.
-Claro que sí! – disse voltando a beijar-me os lábios.
Perdida por entre beijos, sentei-me no seu colo virada para ele. As minhas mãos subiram lentamente do seu peito desnudo para o seu pescoço. Os seus braços envolveram o meu corpo e as suas mãos percorriam cada centímetro das minhas costas despidas. Cada toque suave dele era como uma brisa que me arrepiava. Mordi-lhe o lábio inferior ligeiramente para voltar aos beijos intensos logo de seguida. Senti as suas mãos puxarem o meu corpo contra o dele, e as nossas respirações perderam-se nos beijos intensos. Delicadamente senti-o deslizar umas das alças do meu sutien pelo meu ombro abaixo e logo de seguida executou o mesmo movimento do outro lado. Mas tão subtilmente como o fez, as suas mãos passaram para as minhas ancas sentindo cada centímetro da minha pele. Deixei os beijos dele para lhe trincar o lóbulo da orelha e passar para o seu pescoço e enquanto o beijava, senti-o ficar duro por baixo de mim o que me deixou ainda mais excitada.
Fiz o meu caminho de novo para os seus lábios. – Necessito bañarme primero… ¿esperas un ratito cariño? – sussurrei-lhe ao ouvido . Olhei-o nos olhos para ver a sua reacção primeiro e fiz uma expressão de santinha à qual ele respondeu com um sorriso perverso que me deixou sem escapatória possível. Ele voltou a beijar-me os lábios, pegou em mim ao colo e dirigiu-se à casa-de-banho. Foi a primeira vez na minha vida que fiz amor numa banheira e digo-vos que foi magnífico, ele conseguia levar-me ao paraíso, fazia sair da minha boca palavras que eu nunca achei possível eu proferir, fazia-me ser a mulher mais feliz do mundo.
Foi também a primeira vez que fiz amor em Londres. Infelizmente a viagem estava a acabar.

 


 

 

Obrigado pelos comentários meninas :)

Espero que gostem e logo há Benfica!

*Hapoel - S.L.Benfica - 24 Out - Qua - 19:45 - SportTV1*

tags:
sinto-me: *-*
música: amy winehouse - love is a losing game
link do postPor pablitoaimar, às 15:10  comentar

De Castro a 24 de Novembro de 2010 às 15:38
Gosto muito da tua fic jane.
Escolhes-te um BOM idolo! :D

Bjs, continua...

De Emilia Pereira a 24 de Novembro de 2010 às 16:39
Estou a adorar a tua fic, esta cena de amor em Londres foi demais.

Continua.

Bjs
Mila

De Bianca a 24 de Novembro de 2010 às 21:34
Madame Tussauds u.u A parte do terror é que é espectacular, aparecem-te lá homens aos berros a assustar !! xD
Janee Maria, mais uma vez adorei completamente +.+
Maravilhoso mesmo, então ali a parte da banheira ...^^
ContinuA !!
Beijãooo ( L )

De sofiarc ॐ a 26 de Novembro de 2010 às 23:32
adorei :)
Jane Aimar até fica engraçado :D
fico à espera do próximo capítulo :b
beijinhoos

mais sobre mim
●▲■▼
chat
ⓐⓘⓜⓐⓡ
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic