25.10.10

4

 


Às 18h fui a gare do Oriente buscar a Sara, esta já se encontrava a entrada a ver se me via.
O mais rapidamente possível saltei do carro e corri para ela… Já não a via a imenso tempo, mas podia perfeitamente lembrar-me de cada segundo que passei com ela da primeira vez que a conheci. Abraçamo-nos, foi um abraço sentido, apertadinho. Já era a minha melhor amiga há tanto tempo. Num instantinho chegamos a casa, eu mostrei-lhe todos os cantos e recantos para ela se habituar…
-Então e se hoje fossemos ver um filme assim para comemorar a minha vinda.
O meu sorriso desapareceu completamente da minha cara, eu não queria dizer que não a minha melhor amiga, mas eu já tinha coisas combinadas…
-Que cara é essa? Pois deixa-me adivinhar trabalho! Agora como trabalhas lá pró glorioso é só trabalho imagino, mas deixa lá vemos amanha então.
-Não é trabalho. – disse-lhe.
-Não? Então é o que? – perguntou ela cruzando os braços junto ao peito.
-Eu vou sair hoje à noite!
-Sair à noite? Ui isso mete homem!
Eu ri-me logo da cara dela… Ela fazia cada filme, era como eu. Éramos iguaizinhas. E não parecia nada preocupada com a ideia de eu a ir trocar por um homem.
-Então mas conta-me lá isso Jane Maria, como é que é? Então ainda ontem me estavas a dizer que chegas-te cá e já vais sair com um homem! Hum ou é com os amiguitos do costume? O David e o Ruben? Ou será que é só com o Ruben? … Hummmm…. Ahhhhhh se é só com o Ruben anda aí coisa!
-Sara Isabel!
-Sim…
-Primeiro, sim vou sair com um homem! Segundo sim, cheguei cá ontem e depois? Terceiro sim tenho muito trabalho querida, mas amanha prometo que vemos um filme. E quarto não, não vou sair nem com o David, nem com o Ruben. – e meti-lhe a língua de fora.
-Então é com quem?
-Com o Pablo… Ele vai-me mostrar a cidade.
-Pablo? Hummm Pablo? De onde é que eu conheço isso… - perguntou ela coçando a cabeça…
-Oh céus, típica benfiquista que não vê jogos, nem conhece os jogadores! É o Aimar, Sara!
-Ahhhh, mas oh mulher tu fala-me em português sabes que eu por Pablo não ia lá, se tivesses dito logo Aimar eu já não estava aqui com tantas coisas…. Chiça!
Eu limitei-me a dar-lhe um grande beijo nas suas bochechinhas lindas. – Tu não existes.
-Mas espera lá! O Aimar? Mas o Aimar não é assim tipo um bocado… velho?
Revirei os olhos…- Sara, isto não se trata de um encontro amoroso! E além disso ele é casado e tem filhos! E não, não é velho tem 30 anos….
-Casado? Filhos? 30 anos? Vais sair com ele outra vez porque? Recapitula lá isso….
 -Ai Sara! Vou… Sim tem 30 anos, e isso não é velho aliás, tu própria já tinhas dito que ele tinha aparência de 25 num dos jogos que fomos ver, que eu bem me lembro. É só 10 anos mais velho que nós… E depois sim é casado, e tem filhos qual é o mal…. Eu já te expliquei que isto não se trata de um encontro amoroso, ele só me vai mostrar a cidade. Só isso…
-Mas ele é Argentino! E vai-te mostrar Lisboa? Tinha mais piada se fosse o Ruben que é Português!
Eu limitei-me a nem responder sequer… estava a ficar farta daquela conversa.
Jantei com a Sara umas pizzas que mandamos vir, nenhuma estava com disposição para cozinhar e depois fui para o quarto arranjar-me.

 

 


Optei por um look um bocado mais arrojado, mais citadino. Portanto levei o meu macacão com prints de leopardo o qual adornei com um cinto em pele que me marcava a cintura e com uns botins com tachas. Digamos que até me produzi mais um bocadinho. Pintei as unhas em vermelho, os lábios também, um leve risco nos olhos, o cabelo ao natural, com os meus cachos descangalhados que me caiam pelos ombros. Peguei na minha mala da channel e decidi levar também pelo sim pelo não um casaquinho preto, fino de malha… Por acaso a noite até estava quente o que não era muito normal em Outubro, mas era o melhor não fosse o diabo tecelãs e ainda vir frio…
 Eram 20:30 e estava na minha hora, ainda tinha de conduzir até ao estádio.
- WOW *-* - disse a Sara mal pus os pezinhos fora do quarto. – Tão gira! Tens a certeza que isso é tudo pró Aimar?
-Estou assim tão produzida? É melhor ir mudar!
-Que mudar que quê, estás óptima! E olha que amiga... Ele até pode ser casado e tal, mas ninguém precisa de saber… - e piscou-me o olho!
- Ai credo, cala-te Sara Maria! –disse-lhe tapando-lhe a boca com uma mão…
Saí e segui rumo ao estádio no meu carochinha… Não vou negar que me sentia nervosa, mas eu sabia que o nervosismo ia passar, tinha que passar!

O Estádio estava vazio… mas estava completamente iluminado e isso tornava-o ainda mais bonito. Estacionei o meu carocha e ao fundo da garagem estava um Audi A3, deduzi logo que era o carro do Aimar, afinal ele era conhecido por ser o poupadinho do plantel, e se bem que um Audi não era para os meus bolsos, mas era um bom carro. E eu não percebia porque raio os jogadores teimavam em exibir grandes máquinas….
Ele vinha com umas calças de ganga lisas e com um pólo azul-marinho que estava sobreposto sobre uma camisa branca… pés? All stars! Sorri interiormente, conseguia ser chique, clássico e new wave ao mesmo tempo e sem perder a classe. E lá estava com um sorriso de morrer na cara.
-Hola… -disse-me dando-me dois beijinhos.
-Hola! – sorri.
-Que hermosa! – disse-me olhando-me de cima a baixo.
Odiava quando me olhavam assim, mas eu nem me importei, estava demasiado perdida no sorriso dele.
-Gracias! E vámonos donde?
- Yo amaría andar en su carro, pero vámonos en mío.
-E vámonos donde?
-Sorpresa!

Ele abriu-me a porta o que me voltou a trazer o nervosismo. Não estava habituada a estas coisas. Nem o meu ex namorado me fazia tal coisa. Saímos do estádio e quando dei por mim já estávamos a atravessar a ponte Vasco da Gama, para o lado da margem sul. Mantinha-me em silêncio e ele também, não fazia ideia para onde é que ele me levava. O carro tinha um cheiro a baunilha complemente apreciável e isso fazia-me sorrir. Eu adorava o cheiro, o sabor, tudo de baunilha. Discretamente desviava o meu olhar para ele, mas ele continuava sereno e concentrado na estrada. Minutos depois ele parou o carro enfrente a um grande prédio. Minuciosamente vi-o carregar no botão do comando para abrir o portão, entrar, dar a volta a garagem, estacionar no local P que ficava de frente para o portão, vi-o pegar de novo no comando e fechar o portão.
Eu estava confusa… Não era suposto ele me ir mostrar Lisboa? Então porque raio entramos num prédio? Vi-o sair do carro e eu fiz o mesmo… E fiquei parva a olhar para ele, não sabia o que dizer…
-Viene!
Segui-o por um corredor que dava acesso a uns elevadores… Entramos e vi-o carregar no botão 14. Olhei-o nos olhos… Estava cada vez mais confusa… Bem, ele podia-se ter esquecido de alguma coisa em casa! Sei lá! Desviei o olhar para o chão e deparei-me de novo com as suas all stars azuis… Ri-me.
-Que passa?
-Nadie… Nadie… Hummm a mí me gusta las all stars, solo eso.
-Son muy confortables!
Sorri de novo. – Un hombre con all stars es sin duvida interesante.
 -Que nunca hay visto?
-Niños si! Hombres no! Pero es moda úsalas con trajes y eso, pero eres engrasado!
*Plim* O elevador tinha parado. Saímos e voltei a segui-lo, viramos á esquerda e depois à direita de encontro a uma porta. Ele tirou umas chaves do bolso e abriu. Olhou para mim, sorriu e disse-me. – Entre…
Eu não sabia se havia de sorrir, de entrar em pânico, ou de …. Eu nem sabia o que lhe dizer… De uma coisa eu tinha a certeza… Eu não conseguia dizer que não a um sorriso daqueles.
Entrei, e ele seguiu logo atrás de mim fechando a porta atrás de si.
Era uma casa bastante acolhedora… Espaçosa mas bem aproveitada… O corredor estava cheio de fotos do Aimar com os filhos… Fotos completamente adoráveis… Agora eu tinha a certeza que estava em casa dele… Não é que eu duvidasse disso antes, mas não sabia o que esperar disto… A casa estava optimamente decorada, bom gosto! E bem arrumada… E vazia… Olhei ao redor… Ele não podia viver ali sozinho. Onde estaria a mulher e os filhos?
-No te gusta? – perguntou-me.
-Que?
-De mi casa?
-Ahhh. No, yo adoro, muy linda!
Ele correu umas grandes portas envidraçadas e correu as cortinas…
-Viene aquí, yo lo prometí que me te mostraría la ciudad...
Eu fiquei completamente embasbacada com a vista que tinha dali. Dava para apreciar Lisboa de uma maneira que nunca tinha apreciado… Todas as luzinhas que brilhavam além, do outro lado do Tejo…Os carros, as casinhas. Era lindo! Maravilhoso, e eu não tinha palavras…
-Muy linda no? – perguntou-me.
-Aimar, esto es… lindo! Deus mio, tienes una vista maravillosa desde aquí. – disse-lhe sem tirar os olhos da cidade.
-Yo hay dijo que te mostraría la ciudad, yo sé, pero es noche e eres muy más linda de día…. A mí me gusta estar aquí a noche apreciando esta vista maravillosa. Perdóname se te lleve a pensar que te levaría a sitios más lindos.
-Aimar…. – olhei-o, ele estava um pouco mais atrás com as mãos dentro dos bolsos e com o olhar em mim. – Esto es lindo! No poderia pedir más. Yo não tengo esta vista maravillosa de mi casita… - sorri, e voltei a olhar para aquela paisagem. – Eres muy más linda de apreciar así en un todo, do que un bocadito aqui e outro acolá.

 O silêncio fez-se ouvir por segundos… Eu não estava acreditar… Era tão engraçado pensar que ele me tinha levado a pensar que me mostraria a cidade de outra forma mas que também me deixou sem reacção possível. Isto também era um boa forma de me mostrar a cidade… Era muito mais bonita assim… E para conhece-la bocadinho a bocadinho, eu ia ter tempo para conhecer por mim própria… Queria aproveitar o máximo desta vista maravilhosa, pois sabia que não teria outra igual tão cedo. Ou será que teria? Eu não conseguia esconder o sorriso que teimava em aparecer no meu rosto… Era sem dúvida uma bonita paisagem… Inspiradora… Eu podia ficar a observá-la horas e horas, e desenhar montes e colecções inspiradas nesta vista… O Aimar tinha realmente uma sorte enorme… Por momentos tinha esquecido tudo… inspirava e expirava calmamente, e sem nunca pestanejar aproveitava cada centímetro da beleza que pairava mesmo à frente dos meus olhos.
Uma breve brisa se fez sentir e o meu corpo todo estremeceu…
“Bolas eu sabia que ia ter frio” pensei eu…
-Eres mejor entrar, ou inda vas a ficar doentita…
Olhei um ultima vez para toda aquela paisagem e voltei as costas a Lisboa para encarar outra paisagem ainda mais agradável…
Eu, não poderia pedir mais… Ele era um homem fantástico… Sim eu não o conhecia de todo, e eu sou daquelas pessoas que diz que se levam anos a conhecer verdadeiramente uma pessoa, mas o Aimar era tão puro e transparente que era quase que como se eu pudesse ver através dele e dizer exactamente o tipo de Homem que ele era… Um tipo de Homem, que hoje em dia quase nem existe. Mas eu ainda tinha esperança de encontrar um assim para mim… Um dia.
-Si, eres mejor. – disse-lhe sorrindo…
Entramos e ele fechou a porta…
- Mira, siéntate por ahí… Yo voy a buscar algo calientito para bebemos.
Sentei-me no sofá grande que estava no meio da sala… Tomei a liberdade de ligar a tv… Ele não se ia importar de certeza... Liguei no Benfica tv. E estavam a falar da equipa de futsal.
Minutos depois apareceu ele de novo, à porta da sala com duas canecas na mão...
-No posso… - disse passando-me uma caneca para a mão… - Viendo fútbol?

- Si, a mi me gusta andar siempre a par de mi Benfica… ri-me…
-Hummm, estoy viendo. Pensé que fueses más de Fashion tv…
-Si por veces! – disse-lhe dando um gole sem ver o que era…
-Hummm chocolate quente! – disse em Português! Já não bebia daquilo a bastante tempo, mas era tão bom e sabia tão bem quando estava frio.
-Si… muy bueno! Mi hijos lo adoran. – disse-me primeiro sorrindo, mas logo de seguida pôs os olhos numa das fotos que estava em cima da mesinha enfrente ao sofá com a foto dos 3 pequenos. E eu vi o seu sorriso desaparecer…
-Son los 3 muy guapos… Pero píense que estuviesen aquí contigo.  – disse-lhe ainda que um bocado a medo, pois sabia que ele era uma pessoa reservada, e não queria que ele pensasse que me estava a meter na vida dele.

-No…Que están con Ana… - disse-me sem desviar o olhar da foto dos três pequenos…

A foto era realmente adorável, mostrava o Aimar com uma menina que não deveria ter mais de 1 ano ou 2 ao colo, com outra com provavelmente 4 anos ao seu lado e ainda com um menino que deveria ter 2 do outro lado agarrado a sua perna.
-Tu mujer? – perguntei apesar de ter quase a certeza de qual seria a sua resposta.
-Si…  Yo e Ana… nosotros estamos divorciados a un año… Mucho poca gente sábelo porque los media a inda no descubrirán, e esperó que continúe así. Ella continuó viviendo en Portugal, pero los pequeños ficharán con ella... Yo no poso fichar siempre con eles por causa de los juegos e mi trabajo. Pero a mí me gustaba de los ver todos los días… - confessou-me ainda sem tirar os olhos da foto…  E eu sem que mais nada me passasse pela mente envolvi-o nos meus braços para que de alguma forma o tentasse confortar…

 


 

 Mais uma vez agradeço a todas as que comentaram :) isso é muito bom para mim, no entanto peço para que me deixem opiniões sobre o que acham ou sobre algo o que precise de mudar... criticas... desde que sejam construtivas.

 

p.s- danielle a música do blog chama-se Lissie - when i'm alone.

 

 

tags:
sinto-me: *-*
música: ...
link do postPor pablitoaimar, às 17:42  comentar

De Pipa a 25 de Outubro de 2010 às 18:02
Ai Jane Maria esta lindo *.*
Quero mais!Exigo mais(estou a brincar)
Espero pelo 5º

De caty_silva a 25 de Outubro de 2010 às 18:58
Hum... isto promete... LOOL

Continua... estou a gostar da história!! Com que então mal conhece a rapariga e já a leva para casa!!! LOOL

Está muito fixe!! :P

De Beatriz a 26 de Outubro de 2010 às 21:17
Adorei e já quero o próximo :)
Continua...:)

De Bianca a 26 de Outubro de 2010 às 23:44
Janee, tou adorar a tua fic !! Muito boa, a sério !
Olha podias me era introduzir aí na história como namorada do Andrés xDD
Quando vais po Msn? Temos uma cena nova e tenho muitas coisas pa contar !
Mais uma vez, ADOREI !! +.+
Parabéns !
Beijão !

mais sobre mim
●▲■▼
chat
ⓐⓘⓜⓐⓡ
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic