7.2.11

Esperei por ele na garagem do estádio e para meu espanto ele foi o primeiro a chegar lá. Tomei essa atitude como um acto de pura curiosidade sobre o que se passava. A viagem até casa decorreu no silêncio dos deuses, mas eu conseguia ver a preocupação na cara dele. E o facto de ele não saber que a notícia que o esperava era óptima fazia-me sorrir interiormente. Entramos em casa, ele sentou-se no sofá ao meu lado à espera do que viria dali. Sorri-lhe, o que acalmou a expressão o seu rosto, sentei-me no seu colo, entrelacei as suas mãos nas minhas e levei-as até à minha barriga. Senti o calor delicioso que as suas mãos transmitiam o que me fez voltar a sorrir.
-¿ Que pasa cariño? – perguntou dando-me um pequeno beijo na face.
Olhei-o nos olhos, de novo um sorriso irradiou nos meus lábios e com a maior felicidade do mundo proferi as palavras que ele desejava ouvir à tanto tempo.

–Pablo… Estoy, embarazada!
Em segundos vi o sorriso mais vivo, graciosos e maravilhoso nascer nos seus lábios.
As suas mãos começaram a fazer, automaticamente, pequenas festinhas na minha barriga.
-¿De verdad?¿Coando fue eso?
-Pienso que fue en Barcelona en uno de las noches calientes que tuvimos! – disse-lhe num tom de gozo.
As suas mãos sentiram cada traço do meu rosto e os seus lábios saborearam deliciosamente os meus.
-¿Porque no me llamaste? – perguntou-me ainda com um sorriso puro e verdadeiro no rosto.
-Porque te queria dicerlo personalmente.
Instantaneamente, ele levantou-se ainda com o meu corpo nos seus braços sem que nem por um segundo ele deixasse aquele sorriso maravilhoso desaparecesse do seu rosto.
E levou-me assim, no colo, com o seu olhar colado no meu até ao quarto onde me deitou suavemente sobre a cama.
Senti as suas mãos levantarem-me a camisola até ao peito e os seus dedos fizeram pequenos círculos sobre a minha pele o que me provocou um pequeno riso.
Vi-o encostar a sua face na minha barriga e dar-lhe um pequeno beijo.
-¿Como esta la miña niña?
Ri-me. –¿Niña? No. No- Que eres um niño! Guapissimo como sue papa!
-¿Niño? – perguntou levantando a face e olhando-me nos olhos.
-Sí! Que una madre lo sabe siempre. Yo te digo que eres un niño!
Ele sorriu e voltou a beijar-me os lábios ternamente.
-¿Pablo….  ¿Todavía gustaras de mi cuando yo engordar? – perguntei quando quebramos o beijo a pesar de saber que era uma pergunta estúpida, mas mesmo assim tinha que perguntar e digamos que me saiu num tom bastante envergonhado.
Ele riu daquela minha reacção. –Cariño… Yo voy a gustar de ti engordáda, vieja, enrugada… tudo… porque te amo e para mí será siempre la más guapa. Te amo hermosa.
Rodei o meu corpo e sentei-me na sua cintura. Beijei-o primeiro lentamente mas em pouco tempo o nosso beijo se tornou mais intenso e sensual
Senti as suas mãos no meu corpo puxando-me para ele e os meus beijos passaram da sua boca para o seu pescoço.
-Tenia tantas saudads tuyas… De tenerte aqui a mi lado. De pudier despiertar a tu lado… - disse-me já com a respiração um pouco acelerada.
-Hicieste de mi el hombre más felíz del mundo…
Os meus dedos celaram os seus lábios. –Shiu! Besame cariño! – disse-lhe voltando aos beijos intensos nos seus lábios.
Os nossos corpos uniram-se para acabar de vez com a saudade entre jura de amor, gemidos e o calor dos corpos.
(…)
Nessa noite decidi juntar os amigos mais próximos para fazermos uma pequena festa. Tinha imensas saudades dos meus meninos. Portanto combinei que iríamos ao restaurante/bar ao lado da minha casa, que já todos conheciam. Optei por um look mais urbano mais relaxado. E quentinho que fazia frio em Lisboa no inverno. Vesti o meu vestido de seda branco com umas leggins cinza. Completei o conjunto com um casaco com estampado leopardo e com uns botins em pelo da Coco Chanel. Um pouco de maquilhagem, o cabelo ao natural e estava pronta.

  

  

 

 

 

Para o jantar convidei a Sara e o Javi, o Saviola e a Romanella, o David e a Pipa, o Andrés e a Bianca, o Rúben e o Pablo como era óbvio.
O jantar decorreu muito serenamente dentro do animado. Era bom estar de volta. Tinha combinado com o Pablo que daríamos as “boas novas” aos amigos mais próximos, quando chegasse o momento certo eles iriam saber.
Como sempre a música ao vivo estava bastante presente no bar e eu estava disposta a cantar hoje. Estava feliz, para além da felicidade. Que mais poderia eu pedir? Estava de volta, estava com os meus amigos, com o homem da minha vida e estava a começar uma nova etapa da minha vida tanto a nível profissional como pessoal.
E lá me aventurei eu, agarrei numa guitarra eléctrica, toquei os primeiros acordes e a banda acompanhou.
()
No final as pessoas que estavam no bar aplaudiram de pé o que contribuiu para aumenta a minha felicidade.
Dirigi-me de novo para a mesa onde eles estavam e vi o Pablo levantar-se. Sabia que estava na altura. Ele agarrou a minha cintura e pousou o seu queixo no meu ombro… A mesa inteira pôs os olhos em nos, era como s soubessem que tínhamos algo a dizer.
-Eu e o Pablo temos uma coisa para vos dizer… - disse-lhes com um sorriso enorme no rosto.
-Ahhhh vão casar! – disse a Sara muito disparada.
Eu e o Pablo entreolhamo-nos e rimo-nos, os restantes na mesa ficaram sérios a tentarem perceber se “era mesmo isso”
-Não… - disse-lhes.
-Não! Ohh… Quando a que nós casamos Javi? – E dito isto todos os presentes na mesa se riram e o Javi ficou mais vermelho que um tomate
-¿Pero entonces que pasa? – perguntou o Savi.
-Sim, Jane! Conta pra gente vai. – insistiu o David.
-Eu… estou grávida!

 

 

 

 


 

tags:
sinto-me: :3
música: lissie - in sleep
link do postPor pablitoaimar, às 20:28  comentar

De Ctia a 7 de Fevereiro de 2011 às 20:46
Tipo amei wooow
Que fofuras si si si!
Quero mais!!
Ai que doces eles são ohhh *.*
Beijinhos

De Filippa a 7 de Fevereiro de 2011 às 21:01
Ai GOD eu AMEEEI completamente *-*
Não sei se o Amorim vai gostar da ideia mas ... Logo se vê xD
Mais :D

De Entreamigas a 7 de Fevereiro de 2011 às 21:28
Para não variar gostei mt do cap Jane , ainda bem que voltaste a publicar mais assiduamente... Adoro o tempinho que passo aqui a ler a tua fic ... quero mais miuda. .

Bjs

Clara

De Entreamigas a 7 de Fevereiro de 2011 às 21:28
Jane Marie, como já te disse a tua fic n precisa d altos e baixos entre o Pablito e a Jane, já é linda e maravilhosa assim, não farta, não cansa, nada! Aliás, acho que difere das outras precisamente nisso, sendo fantástica!

Mas agora quero mais! =)

Beijinhos

Guigui

De Nii'i a 8 de Fevereiro de 2011 às 01:48
Adorei (L)

Quero mais Jane.

Beijinho*

De Bianca a 8 de Fevereiro de 2011 às 22:19
Está mesmo muito muito bom, Jane! Eu adoreii! Gosto mesmo da tua fic! Ahh e as músicas que aqui pões são muito boas +.+
Continua!
Beijãoo (L)


Ps: Olha eu ali com o Andrés *.*

De Rita (miscarúuu) a 12 de Fevereiro de 2011 às 23:30
mais uma vez e qualquer coisa de fenomenal! vamos ter um pequeno Aimar assim muito fofinho *.*

mais sobre mim