8.3.11

Obrigado pelos comentários e por continuarem a gostar da fic :D e um Olá a todos os novos leitores :D

Quero desde já explicar que este capitulo vai ser pequeno, porque a seguir vem outro "tema/assunto" que tem de vir como sendo outro capitulo! Peço que compreendam, e desculpem andar tão ausente, mas 1º tive em casa e não tinha o portatil por perto e 2º a escola anda a matar-me, literalmente.  Espero que gostem.

 


 

 

-Não.- disse-lhe.
-Como assim não? –perguntou-me em completo espanto. –Jane tu sabes que mentir é o primeiro passo em falso para destruir uma relação.
-Mas eu não lhe vou mentir… Simplesmente vou ocultar algumas coisas que se passaram em Barcelona. Como se não tivesse acontecido.
-Jane, porque é que não lhe contas?
-Porque não! Imagina Sara… O Pablo adora o Messi, e o Pablo é o ídolo do Messi, não quero de maneira alguma que esta amizade acabe por minha causa! E apesar de tudo o Leo está em Barcelona. Eu estou aqui! O Pablo é o homem da minha vida! O pai do meu filho! O Leo, não está aqui, portanto não há problema e também não o vou ver tão cedo.
-Não? E a proposta de trabalho para o Barça?
-Eu ainda não aceitei nada. – disse-lhe.
O nosso assunto acabou ali e eu saí e dirigi-me a casa do Pablo. Metalmente estava a preparar-me para o impacto.
“Tens que agir normalmente!”, “esquece isso!” era o que eu repetia para mim mesma mentalmente.
Mas o receio era mais do que muito. Eu sabia que o amava, tinha a certeza disso. Mas tinha medo de não reagir da mesma forma ao lado dele. Tinha medo de não querer estar com ele. Tinha medo de não o querer beijar. Tinha medo!
Estava frustrada e não me conseguia perceber a mim mesma. Não percebia porque! Já não fazia ideia de quem eu era e tinha medo que os sentimentos me enganassem a mim mesma.
Provavelmente, esta tinha sido a vigem mais longa que eu tinha feito para casa do Pablo. Fi-la na maior calma do mundo, para limpar completamente a mente.
Assim que estacionei e avistei o seu prédio, o meu coração acelerou. Entrou num compasso descontrolado, que faziam o meu coração quase saltar pela boca.
Inspirei fundo, fechei os olhos e saí do carro. Abri a porta do prédio, entrei e subi pelo elevador, os meus olhos ficaram enevoados, fixados atentamente nos números que indicavam em que piso me encontrava. As lágrimas teimavam em sair, mas eu fui mais teimosa e limpei-as antes que estas tentassem deslizar pelo meu rosto.
Abri a porta e quase que sentindo todo o meu corpo tremer de receio, entrei no apartamento, mas assim que os meus olhos se abriram para encarar o meu medo, apercebi-me de que o vazio completava aquele espaço. Em cima da mesa da sala encontrei um pequeno papel, que dizia: “hermosa, perdoname pero no pude quedarme aí para te receber, tengo entrenamento. Besos, Pablo.”
Dobrei novamente o papel e pousei-o exactamente no mesmo sitio onde o tinha encontrado.  Deixei as malas exactamente onde as tinha deixado no hall de entrada. Segui até ao quarto, meticulosamente arrumado como só ele o deixava. Retirei uma das suas camisas do armário, levei-a até ao meu rosto e senti aquele perfume, maravilhosamente sensual, suave e delicioso que a camisa possuía. Despi as minhas roupas e apenas em lingerie, vesti aquela camisa, e deixei que aquele cheiro se entranhasse no meu corpo. Fechei os olhos e deixei que todos os bons momentos que passamos juntos passassem como deja vus na minha mente.
Deitei-me na cama, e deixei que as lágrimas caíssem pelo meu rosto. Tinha que me libertar de toda a frustração. Tinha que esquecer. Tinha que agir normalmente. Tinha que ser feliz ao lado do homem que eu amava.

tags:
sinto-me: U.U
música: adele - rolling in the deep
link do postPor pablitoaimar, às 23:24 

De branquinhosdoscachosdourados a 9 de Março de 2011 às 13:34
maravilhoso...

quero mais...

continua...

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim