8.3.11

Obrigado pelos comentários e por continuarem a gostar da fic :D e um Olá a todos os novos leitores :D

Quero desde já explicar que este capitulo vai ser pequeno, porque a seguir vem outro "tema/assunto" que tem de vir como sendo outro capitulo! Peço que compreendam, e desculpem andar tão ausente, mas 1º tive em casa e não tinha o portatil por perto e 2º a escola anda a matar-me, literalmente.  Espero que gostem.

 


 

 

-Não.- disse-lhe.
-Como assim não? –perguntou-me em completo espanto. –Jane tu sabes que mentir é o primeiro passo em falso para destruir uma relação.
-Mas eu não lhe vou mentir… Simplesmente vou ocultar algumas coisas que se passaram em Barcelona. Como se não tivesse acontecido.
-Jane, porque é que não lhe contas?
-Porque não! Imagina Sara… O Pablo adora o Messi, e o Pablo é o ídolo do Messi, não quero de maneira alguma que esta amizade acabe por minha causa! E apesar de tudo o Leo está em Barcelona. Eu estou aqui! O Pablo é o homem da minha vida! O pai do meu filho! O Leo, não está aqui, portanto não há problema e também não o vou ver tão cedo.
-Não? E a proposta de trabalho para o Barça?
-Eu ainda não aceitei nada. – disse-lhe.
O nosso assunto acabou ali e eu saí e dirigi-me a casa do Pablo. Metalmente estava a preparar-me para o impacto.
“Tens que agir normalmente!”, “esquece isso!” era o que eu repetia para mim mesma mentalmente.
Mas o receio era mais do que muito. Eu sabia que o amava, tinha a certeza disso. Mas tinha medo de não reagir da mesma forma ao lado dele. Tinha medo de não querer estar com ele. Tinha medo de não o querer beijar. Tinha medo!
Estava frustrada e não me conseguia perceber a mim mesma. Não percebia porque! Já não fazia ideia de quem eu era e tinha medo que os sentimentos me enganassem a mim mesma.
Provavelmente, esta tinha sido a vigem mais longa que eu tinha feito para casa do Pablo. Fi-la na maior calma do mundo, para limpar completamente a mente.
Assim que estacionei e avistei o seu prédio, o meu coração acelerou. Entrou num compasso descontrolado, que faziam o meu coração quase saltar pela boca.
Inspirei fundo, fechei os olhos e saí do carro. Abri a porta do prédio, entrei e subi pelo elevador, os meus olhos ficaram enevoados, fixados atentamente nos números que indicavam em que piso me encontrava. As lágrimas teimavam em sair, mas eu fui mais teimosa e limpei-as antes que estas tentassem deslizar pelo meu rosto.
Abri a porta e quase que sentindo todo o meu corpo tremer de receio, entrei no apartamento, mas assim que os meus olhos se abriram para encarar o meu medo, apercebi-me de que o vazio completava aquele espaço. Em cima da mesa da sala encontrei um pequeno papel, que dizia: “hermosa, perdoname pero no pude quedarme aí para te receber, tengo entrenamento. Besos, Pablo.”
Dobrei novamente o papel e pousei-o exactamente no mesmo sitio onde o tinha encontrado.  Deixei as malas exactamente onde as tinha deixado no hall de entrada. Segui até ao quarto, meticulosamente arrumado como só ele o deixava. Retirei uma das suas camisas do armário, levei-a até ao meu rosto e senti aquele perfume, maravilhosamente sensual, suave e delicioso que a camisa possuía. Despi as minhas roupas e apenas em lingerie, vesti aquela camisa, e deixei que aquele cheiro se entranhasse no meu corpo. Fechei os olhos e deixei que todos os bons momentos que passamos juntos passassem como deja vus na minha mente.
Deitei-me na cama, e deixei que as lágrimas caíssem pelo meu rosto. Tinha que me libertar de toda a frustração. Tinha que esquecer. Tinha que agir normalmente. Tinha que ser feliz ao lado do homem que eu amava.

tags:
sinto-me: U.U
música: adele - rolling in the deep
link do postPor pablitoaimar, às 23:24  ver comentários (12) comentar

2.3.11

Desculpem o atraso nos capítulos, mas esta semana e o final da semana passada foi de loucos, com entregas de trabalhos, testes, apresentações, horas extras, noitadas, e acordar de madrugada para acabar trabalhos... Espero que compreendam.

Fiquei um pouco triste por ter sido o Fábio a ganhar o prémio de melhor jogador 2011, em vez do Pablo, mas tudo bem compreendo. E para mim o Pablo há-de sempre ser o melhor jogador! *-* <3

Espero que gostem do capitulo de hoje não é muito, muito grande, mas foi o que se arranjou.

Obrigado por todos os comentários e obrigado ás novas leitoras por lerem a fic :)

 


 

Cheguei a Portugal e decidi passar primeiro em casa da Sara.
-Bom dia alegria! – disse atirando-se para os meus braços.
-Boa dia chuchu!
-Ai mulher que cara é essa? Não gostaste da experiência para a Vogue?
-Adorei! Está lindo vê! – disse-lhe passando-lhe a revista para as mãos.
Ela pousou-a na mesa e sentou-se ao meu lado. –Que se passa então?
-Não se passa nada, não vais ver a revista?
-Jane… Eu sou a tua melhor amiga, conheço-te! O que é que se passa? Eu sei que se passa alguma coisa! É o bebé? Discutis-te com o Pablo é isso?
-Não! Não! Só estou um pouco confusa… Mas não se passa nada… - disse-lhe serenamente.
-Confusa com o que? Credo Jane estas tão esquisita! – disse-me como se esperasse uma resposta de mim mas eu mantive-me calada.
-Bem, vamos lá ver isto. – disse pegando na revista. –Ahhh que linda! Agora ainda vais ficar mais famosa!
-Ora aí está uma coisa que não me agrada nada. Preferia permanecer no anonimato.
-Ohh, mas isto pode trazer-te a oportunidade de mais trabalho, e isso é bom.
-Eu já tenho uma proposta de trabalho…
-Sério? – perguntou curiosa. –Onde?
-Em Barcelona…
-O que? O Jane tu não podes ir para lá outra vez. Eu não ia aguentar não te ter cá durante mais meia dúzia de meses. Nem eu, nem o Pablo e tu estás grávida!
-Sara, em principio, eu não tenho que sair daqui para trabalhar lá!
-Mas afinal vais fazer o que? – perguntou ainda mais curiosa.
-O design dos equipamentos do Barcelona.
-Ui! Que nice! Qualquer dia és reconhecida por seres uma grande designer de sportswear.
Ri-me. –Ou não! – contrariei.
-O Pablo já viu isto? – perguntou apontado para a revista.
-Não… Eu vim directamente para aqui!
-Ok, passou-se alguma coisa definitivamente. Tu vires para aqui em vez de ires directamente a casa do Pablo? Não é nada normal. E não digas que estavas com saudades minhas que essa já não pega. Se tens algo para me dizer diz! – insistiu.
Eu limitei-me a ficar lá, petrificada. Eu queria falar mas não conseguia.
-JANE! – insistiu num tom ligeiramente mais alto. Conseguia ver agora, o desespero na cara dela.
-Sara… Eu não consegui reagir, o meu corpo reagiu de forma errada eu não soube como o reverter. Se ele quisesse podia ter-me beijado que eu tinha deixado e o meu corpo não se mexia sequer! Eu petrifiquei! Não reagi! Sara eu não reagi! – disse compulsivamente à velocidade da luz.
-Que? Ele quem? Não reagiste como? Explica-te!
E pela primeira vez em dois dias o meu corpo finalmente reagiu ao que eu sentia e lágrimas deslizaram suavemente pelo meu rosto.
-Jane… - senti-a abraçar-me e limpar-me as lágrimas. –O que é que se passou em Barcelona?
-Eu estive com o Villa, o Iniesta, o Piqué, o Bojan e o Leo. Estive com o rapazes… porque a minha fotografa para a Vogue era a mulher do David e então eu acabei por ir jantar com eles. –disse ainda a soluçar.
-Sim… - disse-me para que continuasse e encostou a minha face ao seu peito.
-Bem mas isso não interessa… Eu tinha ficado com a impressão de que o Messi estava interessado em mim quando estive a fazer a colecção em Barcelona…. –Vi o ar de choque na cara dela, mas continuei. – Mas nestes dois dias percebi que não é isso… Eu acho que ele está mesmo apaixonado por mim… Mas isto não pode ser só a minha cabeça, porque ele não me disse nada… Mas ontem ele veio até ao meu quarto de hotel para se despedir e… Ele quase me beijou! E se tivesse beijado eu não ia conseguir parar!
-Não? Porque? – perguntou ainda mais chocada.
-Porque o meu corpo simplesmente não reagiu! Eu senti o meu coração acelarar e o dele bater aceleradamente contra o meu peito e congelei, não consegui proferir uma única palavra, nem me mexer sequer Sara! O que não pode ser! Não pode! Eu amo o Pablo, estou à espera de um filho dele… Não posso  ter o Lionel apaixonado por mim não posso.
-Pois… Não podes não! NÃO MESMO!
-Porque é que isto me acontece a mim! Já não bastou o Rúben?
-Jane o Rúben quase estragou o vosso relacionamento, mas não conseguiu e o Messi também não vai conseguir.
-Não é isso Sara!
-Então querida? É o que?
-Eu não consigo fazer isto ao Leo! Não consigo partir-lhe o coração! Não consigo! Ele uma óptima pessoa e não merece passar por isso. Eu sei bem o que é passar por isto, sermos rejeitados e eu não quero que ele passe por isto. Não posso! Não quero! Não consigo!
O silencio permaneceu entre nós por segundos, mas ela quebrou-o com uma única e simples resposta para a qual eu sabia a resposta mas que não tinha coragem para a fazer sair dos meus lábios.
-Vais falar com o Pablo sobre isto?
Permaneci calada.
-Jane… Sim ou não?

 

tags:
sinto-me: U.U
música: foals - ballons
link do postPor pablitoaimar, às 20:47  ver comentários (8) comentar

mais sobre mim