27.4.11

 

 

Novo Capitulo, gentji, espero que gostem! Beijinho! Desculpem a demora.

p.s-aceitam-se sujestões para a fic é só comentar com a sujestão!

 


 

 

 

Passaram 3 meses, desde que voltei de Barcelona. A minha barriga tinha crescido a olhos vistos, tinha agora 5 meses de gravidez sem problemas… O nosso glorioso não andava propriamente mal mas poderia andar melhor. Por este andar já tínhamos oferecido o título de campeões nacionais em nossa casa ao principal inimigo. Aqueles morcões que passavam a vida a falar do Benfica como se do próprio clube deles se tratasse. Enfim só me metiam nojo.

O Benfica tinha agora ainda a Bwin Cup e a Liga Europa, na qual estávamos bem perto do fim. Iríamos jogar muito brevemente com o Braga em casa… E eliminando o Braga, estaremos na final.

Esta gravidez tinha-me aproximado ainda mais do Pablo… O que nunca pensei ser possível, pois achava que mais próximo dele não podia estar, mas estava enganada.

A única situação que eu odiava neste momento era não ter arranjado trabalho. Além do mais estava grávida de 5 meses com um barrigão e ninguém me ia empregar neste momento. No entanto eu sabia que a vaga no Barça ainda estava lá para mim. Vaga essa que me consumia os pensamentos. Seria bom para a minha carreira, mas não sabia até que ponto puderia destruir a minha vida pessoal. Não vou de qualquer das maneiras abandonar o meu filho e o Pablo para ir para lá trabalhar… Se bem que eu podia trabalhar cá, só teria de ir lá quando fossem as provas dos equipamentos e fatos. Mas não sabia sequer como explicar isto ao Pablo. Explicar, no fundo, no fundo é a coisa mais simples do mundo… Mas misturar Barcelona com Pablo na mesma conversa dá-me 20 voltas ao estômago e deixa-me numa posição constrangedora..

Mas eu teria que ultrapassar isso se queria chegar a algum lado e se queria trabalho. Mas nada estava decidido ainda. Se, talvez eu, em algum momento me decidir pelo Barça só começaria depois da gravidez.

Hoje o nosso David fazia anos e decidimos dar uma pequena party para ele, visto que ele vinha a Portugal. Eu, a Romi, a Sara e a Pipa ficamos de arranjar tudo. Reservamos mesa num restaurante discreto na baixa de Lisboa e depois iríamos dar um pulinho ao Bairro Alto.

A Pipa ficou de ir buscar o David ao aeroporto e entretanto combinamos estar todos a mesma hora no restaurante para que quando ele lá chegasse já lá estivéssemos todos!

Eu fui a primeira a chegar com o Pablo, tinha de verificar se estava tudo em ordem. Só tínhamos convidado as pessoas mais próximas. O que no real conteúdo da coisa éramos, eu o Pablo a Pipa, a Romi o Savi, o Fábio e a Andreia, a Sara e o Javi, o Luisão e a Brenda o mister Jesus e os pais do David… E o facto de ele não desconfiar nem um bocadinho fazia-me sorrir por dentro.

Pouco depois de todos terem chegado, vi o David aproximar-se da porta da entrada de braço dado com a Pipa, o que me fez sorrir. Eles estavam ternamente apaixonados, o olhar deles não enganava ninguém.

E quando ele pos o primeiro pezinho dentro, quase que pulou de susto, quando todos gritamos surpresa.

-Nunca me hacas una cosa desas! – sussurrou-me o Pablo ao ouvido depois da entrada do David.

-Porque? – perguntei curiosa!

-No me gusta sorpresas con mucha yente! Solo se fuera una sorpresa solamente contigo!

Ri-me e roubei-lhe um beijo discreto sem que ninguém reparasse.

Vi o David aproximar-se de nos, cumprimentou-nos e agradeceu pela surpresa.

-Ué que esta mesmo grande viu? Essa barriguinha não para de crescer não? – peguntou passando a mão na minha barriga.

-Não mesmo! Já estou a ficar muito gorda não estou?

-No! Que estas muy linda, la mas guapa!  - disse-me envolvendo-me nos seus braços e deixando-me pequenos beijos no rosto.

-Sim, claro que sim Pablo, mas a minha Pipa é bem mais bonita!

E todos nos rimos.

A festa correu as mil maravilhas, o David estava maravilhado com a surpresa e todos nos contentes por tê-lo de volta nem que fosse só por um dia, para matar saudades.

A noite acabou com o meu corpo colado ao do Pablo a descansar na cama que nos envolvia num sono profundo, desde à muito tempo.

tags:
sinto-me: dizzy <.>
música: ****
link do postPor pablitoaimar, às 00:38  ver comentários (5) comentar

17.4.11

Desculpem ter estado ausente durante tanto tempo, mas a minha vida de faculdade tem me deixado de rastos. E quando digo de rastos é de rastos mesmo, acreditem... E eu sei que o capítulo de hoje é pequenino.. Mas este fim-de-semana serviu para eu me adiantar o que significa que já tenho mais capítulos escritos e que nos próximos dias vou postar com mais frequencia... Obrigado por continuarem a acompanhar a fic :D

 


 

 

 

 

 

 

52

 

Senti um leve toque no meu rosto, o que me fez despertar ainda sem abrir os olhos… E de seguida senti outra mão na minha barriga, fazendo pequenos círculos sobre a mesma.

Abri os olhos ainda que em esforço. E vi-o com um sorriso puro, e maravilhoso como só ele tinha, sentado na cama ao meu lado.

-Hola hermosita. Perdóname no me ter quedado te esperando.

Naquele momento tudo desapareceu da minha cabeça… era como se nada tivesse existido… Não tinha de ter medo… eu sabia que ele era o homem que eu amava. E nada ia mudar isso. A minha mão subiu até ao seu rosto e puxei-o para mim para sentir os seus lábios quentes pressionados contra os meus. E o beijo rapidamente se tornou mais intenso, puxei o seu corpo para mim sem parar o beijo o que fez com que ele ficasse quase em cima de mim. Quebrei o beijo, e fixei o meu olhar no dele. Aquele verde dos seus olhos castanhos – esverdeados, irradiava agora. Ri-me.

-Que passa? – perguntou-me sorrindo.

-¿Sabes cuando una mujer está embarazada y tiene deseos?

-Si! – confirmou… conseguia ver uma pontinha de medo na cara dele do que iria sair dali o que me fez sorrir interiormente.

-Yo estoy con muchos deseos

-Que quieres cariño Yo te ofrezco tudio.

Trinquei suavemente o lábio inferior e puxei o seu rosto para mim…

-Quiero te a ti! Que que me beses. Quiero hacer amor contigo. Ahora! – sussurei-lhe ao ouvido.

E sem dar-lhe tempo para uma resposta possível, puxei para mim… Ele cedeu sem resistências e eu beijei-o fervorosamente, colando o seu corpo ao meu. Senti o seu coração bater mais rápido, o meu desejo aumentou… Desapertei os botões da sua camisa um por um, deixando o seu corpo descoberto, à minha completa mercê. As minhas mãos sentiram casa centímetro de pele do seu peito sem que os nossos lábios se separassem por um segundo. E eu que já apenas tinha umas das suas camisas vestidas e a minha lingerie, fiquei completamente despida ao seu olhar, assim que ele se apressou a remover cada pedaço de tecido em mim. E agora as únicas coisas que nos separavam um do outro eram a minha lingerie e os seus boxers. Senti os seus dedos suavemente livrarem-se do meu sutien e acariciarem os meus peitos ao qual eu respondi com um pequeno gemido… os seus beijos passaram para o meu pescoço… Livrei-me dos seus boxers tão rapidamente como ele se livrou das minhas cuecas… O seu corpo subiu para cima do meu, e encaixaram um no outro na perfeição… Era como se desde sempre tivéssemos sido feitos um pró outro… Um espécie de duas peças com um único oposto… O único oposto com o qual a peça encaixava.

Ele era a peça que encaixava em mim.

Aquilo não era sexo, era amor… Os seus beijos eram plantados por todo o meu corpo. As suas mãos acariciavam cada pedacinho de curva no meu corpo. Os seus movimentos sincronizam em perfeito com os meus… Os meus gemidos completavam as suas juras de amor. E num pleno êxtase, amor, e sensualidade, atingimos o auge e deixamos os nossos corpos descansarem um sobre o outro.

 

tags:
sinto-me: *-*
música: * o silêncio que é bem bom xD*
link do postPor pablitoaimar, às 23:39  ver comentários (9) comentar

mais sobre mim
●▲■▼
chat
ⓐⓘⓜⓐⓡ
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic
Image and video hosting by TinyPic